Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

27
Ago10

Discursos Sobre a Cidade - Nem cresce, nem minga - Por Tupamaro

 

.

 

“CONVERSAS  COM  ZEUS”

-XIII-

=Nem cresce, nem minga=

 

 

Um tanto espantado com os incêndios a colorirem os céus da ponta mais pequena e da ponta maior da Europa, Zeus resolveu-se por ir uns tempitos de férias até às “Terras de Wilkes” e de “Adélia”.


Quando aí chegou, mostrou-se embevecido com a beleza das focas de Weddell e com o paladar que encontrou no golito de(um!) licor que lhe havíamos oferecido para a viagem.


Fez um “ah!” de grande admiração, mais espantoso do que o” Eureka!”  arquimediano e, por isso mesmo, nos telegrafou:


- “Já percebi! Já percebi!


Já entendi porque o «franciú» deu este nome a este território! O «tipo» tinha casado com uma rapariga de Águas Frias! E ela era «tão pintada» que ainda deixou até hoje, por aí, descendência e virtudes!


Ora, «fachabor» de avisar a «menina Déte» que tem de me calhar uma garrafita maior do que o frasquito que em arranjaste”!

 

Às vezes, até nem queríamos que Zeus fosse tão chegado.


Desde que começou a andar às espreitadelas pelas ALDEIAS FLAVÍNIAS anda mais que guloso.


E, depois,  julga que nós somos donos do «vinhedo», do «fumedo», do «frutedo», ……….  e do Cambedo!

Nem lhe demos troco ao telegrama.

 

Para o regresso, apanhou as ondas da crista central do Atlântico, pretendendo entrar pela portinhola  donde saíram os “Descobridores”.

 

Tinham-lhe falado vagamente numa fonte recente, numa tal “de Boliqueime”. Foi lá espreitar e ficou «encavacado».


Qual fonte qual …………..antónio-chaves”!


Aquilo era um Poço!


Nem as salamandras lá se dão! Só malandrões!


E está coberto de silvas e cavacos!


Zeus, já que passava por aqui perto, fez um desviozito para nos saudar (“cheirou-lhe”, foi o que foi!). Veio mesmo a tempo de uns restitos de coisas boas Normando-Tameganas.


A garrafa do Rosé de Vassal é que no-la deitou toda abaixo!


No hora do bagaço, pergunta-nos:


-“Atão,  nobidades de Chabes?!”

 

- Olha, Zeus, apareceste aqui a dizer que era só para dares um abraço, pois ias com alguma pressa para a CAÇÓNIA (sabemos lá nós aonde isto fica!?) e queres arranjar desculpa para nos culpares dos atrasos que bem te podem acontecer pelo caminho  e que tu tanto desejas que aconteçam.

Não te dizemos nada dessa capital.

 

-Lá estás tu com perrices!


A Cidade CHAVES nem cresce nem minga    -   altera-se aos sobressaltos.


Os que têm tomado conta dela não é tanto para a cuidar, mas mais para a aproveitar para serviço e interesse da sua «quadrilha» partidária.


Chaves é uma cidade cujo crescimento e desenvolvimento urbanos poderiam e deveriam ser harmoniosos e amplos, pois as suas condições geográficas são francamente favoráveis.


Mas a tacanhez de espírito, a mediocridade de conhecimentos e a impreparação política dos que têm vindo a tomar conta dos destinos dessa Cidade e dessa Região, agravadas com a impetuosidade da soberba, da ganância e da insinceridade desses mesmos decisores, condenam CHAVES (cidade e Região) a esse aspecto  de cidade «às três pancadas» e de Região «ao  deus - dará».


Assim, não é de estranhar que pessoas que gostam mesmo de CHAVES (cidade e Região), e, dentre estes, especialmente, os que aí nasceram e aí foram criados, reparem não só nas grandes misérias que por aí saltam à vista, como também  em ferretes isolados, que alguns consideram pormenores ou pequenas distracções licenciadas , que mais não são do que «o rabo de fora» de tristes cumplicidades … ou sinais  em “faces ocultas”.


O Progresso de uma CIDADE tem consistência no Planeamento, e não no capricho balofo ou na golpada de ocasião, concedidos e consentidos por quem tem a OBRIGAÇÃO de saber o que anda a (DEVE) fazer.


O feudalismo mental continua a ser um baluarte para toda a prosápia da imbecilidade, da tacanhez de espírito e da grandiosa quão estúpida soberba de todos quantos se convencem que a História da Humanidade é neles, e só neles, que se realiza.


Do pouco que estudaram, aprenderam uma insignificância que aproveitam às mãos cheias para enfartar o seu insaciável ego eivado de mediocridade.


Na vida estão eles, cada um por si, eles, e, depois, os demais.


Nascem indivíduos, passam a trastes, nunca chegam a ser pessoa.


Embora visíveis a olho nu, o descaramento com que se revestem disfarça-os mais do que a pele do cordeiro ao lobo.


Afinal, não passam de caracaras aplhaçados com plumagem de araras.


Ao longo da História, e particularmente no pós-25, continuam a proliferar, porque este Povo hospitaleiro os hospeda com afecto e toda a ingenuidade.


Especialmente, lá por CHAVES, pela Normandia Tamegana, continue-se a pôr no poleiro os atletas pepe-rápidos da camaleonice politicastra, e cuja maior qualidade está chapada, chapadinha, no conceito que têm do desempenho das funções de edis: - entrar em gozo de férias graciosas, por períodos de quatro anos, com todas as loucuras e lucros já metidos na conta … de quem tem de os «gramar»!!!

 

- Zeus, é sempre com muito gosto e com um grande desgosto que te ouvimos considerar acerca da NOSSA TERRA.


Gosto, porque falas acertadamente, e notamos no teu discurso muita afeição pela Região.


Desgosto, porque nos relembras o atraso de vida em que mantém o nosso torrãozinho natal.

 

-Tu sabes bem que depressa aprendi a gostar da cidade de Trajano.


-Queremos todo o merecimento para os nossos NORMANDO  - TAMEGANOS.


Por isso, e para isso, jamais devem deixar-se atrair, e cair, na escravidão de petimetres neróides.


Bem, deixemo-nos de conversa.


Tenho de «arrancar».


Ora marca aí uns «desvios» obrigatórios e a preceito.


Ó c’um …….”antónio-chaves”! – resmungámos cá para dentro.


- Bem, dia 20 passas pela Capital da Batata e espreitas  -  espreitas só!  - para o sítio daFragatânia”. Torces o pescoço e dás uma olhadela para …. Bem, podes ir por Lebução, Sonim, Santa Valha e paras em Vilarandelo.


Olha, nem te dizemos mais nada. Daí p’rà frente é por tua conta!


Põe-te a mexer, que só sabes mexer connosco!


E numa altura destas termos nós de ficar por cá!...


Tupamaro

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

Olhares de sempre

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    • Fer.Ribeiro

      Por mail, o autor do comentário atrás publicado di...

    • Anónimo

      “rialmente!”---Deixas sempre uma saudadeTerra lind...

    • Fer.Ribeiro

      Penso que era o sonho de todos os miúdos e até gra...

    • Anónimo

      Quando era miúdo este Hotel tinha um elevador. Era...

    • Anónimo

      Também adorava lá ir e passar um bom bocado!!!