Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chaves histórica

04.04.06 | Fer.Ribeiro
2990-bl.jpg

Em Chaves, ao dobrar de uma esquina, tropeça-se com um troço de muralha. Neste caso Seiscentista, um pouco do que resta ali para os lados do picadeiro ou dos bombeiros de cima (que desculpem os BVSP, mas é assim que a gente os conhece).

As muralhas vão assim aparecendo ao dobrar das esquinas, mas, se em Chaves abrirmos um buraco no chão, aparecem logo vestígios romanos, ou seja, qualquer coisa que foi feita há 2000 anos...

Concluindo, em Chaves caminhamos sobre a mais remota história e ao dobrar uma esquina, cuidado, não vá esbarrar com um bocadinho de muralha.

Quem tem acompanhado este blog, sabe que sou orgulhosamente flaviense, apaixonado por Chaves (como diz o amigo alentejano). Sou-o de facto. Além de nascido e criado em Chaves, tenho orgulho e estou apaixonado pela cidade. Mas ser flaviense também dói. Quando vejo estes restos de muralha, quer a seiscentista, quer a medieval e imagino o que seria hoje a cidade com as suas muralhas intactas, tenho pena, e dói ser flaviense, como dói ver construções a engolir, a tapar e a esconder a história da cidade. Como dói ver, outros flavienses, considerarem os Arqueólogos quase como inimigos públicos que andam por cá só para chatear, principalmente quem quer construir (construir!?).

3 comentários

Comentar post