Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Coral de Chaves

23.12.05 | Fer.Ribeiro
coral-bl.jpg


Para contrariar a velha ideia de que Portugal é Lisboa e o resto é paisagem fica aqui um exemplo, o Coral de Chaves.

Pois é, vamos sendo o resto que é paisagem e como quem manda, não manda para cá cultura e outras coisas que a gente também gosta, além da nossa paisagem, temos ser nós os criativos. Claro que com muito suor, às vezes lágrimas e sobretudo muita, mas mesmo muita carolice, vamos “inventando” aquilo que os eruditos chamam cultura.

Entre outros exemplos, como o TEF no teatro, temos o Coral de Chaves na música.

Hoje, e a condizer com a quadra que atravessamos, dedico o post ao Coral de Chaves.

Aqui fica um pequeno historial:

“O Coral de Chaves foi fundado em Outubro de 1992, colmatando um vazio que então existia na cidade de Chaves e no Concelho.

Tendo como principal objectivo a divulgação da música polifónica, a sua acção tem-se feito sentir através de um vasto reportório de música sacra, litúrgica e profana, englobando peças compostas em distintos períodos da história da música – desde o Renascimento até à actualidade.

Teve a sua estreia oficial em Dezembro de 1992 e, desde então, tem mantido uma presença regular em Encontros de Coros, tanto em Portugal como em Espanha, e respondido, sempre que possível, às solicitações de entidades e organismos públicos e privados. Até ao momento realizou cerca de 130 actuações, sendo de destacar, entre outras, a sua presença na Expo/98, integrando o programa da Santa Sé, em representação do Distrito de Vila Real.

De salientar é, ainda, a sua deslocação ao Luxemburgo, aquando da geminação entre as cidades de Chaves e de Differdange, em Outubro de 2004.

Em Março de 1997 participou na gravação do CD intitulado Os Melhores Coros Amadores da Região “Norte”.

O Coral de Chaves constituído por 30 elementos, é dirigido, desde a sua fundação, pelo Padre Fernando Silva Matos, cuja formação musical se desenvolveu, sobretudo, no Seminário Maior do Porto e no Instituto Católico (I.M.L.) de Paris.”

Só me resta agradecer ao nosso amigo Domingos Pires a cedência da foto para publicação, que foi obtida numa das últimas actuações do Coral de Chaves, mais precisamente na Igreja de Outeiro Seco em 20 de Dez. de 2005.

Mais uma vez, um Bom Natal para todos.