Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Pecados e Picardias

18.09.16 | Fer.Ribeiro | comentar
  Pecam Pecam os que não pecamNão por não saber pecarPecam  porque  a si se cercamNum cerco de faltar ar Pecam sós os pecadoresAo esconder os seus pecadosDão à soberba louvoresQue não deviam ser louvados Pecam os que deixam fazerFortuna aos desafortunadosVão (...)

Pecados e Picardias

26.06.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Pecados e picardias um só poema pode fazer a poesia um só poeta abrir portas da alma um só verso tirar à loucura a mania de mandar na alienação que me acalma, uma só esfinge pode ser fé do meu pecado um só futuro a passadeira absolvição um só dito acender (...)

Intermitências

08.03.16 | Fer.Ribeiro | comentar
               A Decisão                “Para.               Escuta.               Escolhe um caminho.              (...)

Pecados e Picardias

27.12.15 | Fer.Ribeiro | comentar
 Desde um tempo com tudo e sem nadaAquecem ausências amigos que ficamTroncos em chama na noite de consoadaNos cruzeiros lá da terra, até madrugada Desde um tempo com tudo e sem nadaEnvelhecem natais até à infânciaEncontros por aí, à vista de todos, indicamUm (...)

Pecados e picardias

06.12.15 | Fer.Ribeiro | comentar
 Noite na noite,num pranto sem choro, desfolha na rosa brancaum secreto desejo triste, névoa recatoadejar inocente da paixão que estancaexangue, abandono num fosso num hiato Noite na noiteJá se Sente o frio do sentir que desisteAlguém no vazio ,uma sombra, grite…Arr (...)

Pecados e picardias

22.11.15 | Fer.Ribeiro | comentar
 Pecados e picardias A chama de vela, vela num adeus por se dar,Mães e mães vertem a dor escorrida em ceraTreme entorpecida uma brisa de pesarVai de rastos ao fundo, breu do valer a pena Vem à tona dor do nada do vão apagadoRostos fechados fontes com jorros de mágoa

Pecados e picardias

27.09.15 | Fer.Ribeiro | comentar
Taverna Sentiu a porta a abrir Espreitou da cozinha Entrou o homem íntegro Nem de propósito, a sorrir… Como se soubesse da Bertinha Sorrui-lhe também num ímpeto   -Bom dia madrugou -Bom dia d. Bertinha, nem por isso -O que vai ser? O mesmo de sempre? Assentiu com a (...)

Pecados e picardias

20.09.15 | Fer.Ribeiro | comentar
 Na taverna os seus pecados O uso e os abusos da pinga   Enfim quase conseguiu distrair-se Os benefícios do trabalho Os problemas quase a esvair-se Como numa noite de orvalho A necessidade de evadir-se E o Gerardo que não descia… Sentiu como de noite mal dormia

Pecados e picardias

06.09.15 | Fer.Ribeiro | comentar
 A taverna  Nascer   A mulher abre a porta entediada Fazer limpeza… pensa revoltada Que tristeza que miséria a que é obrigada Tudo sujo que bando de recos …boldregada   Olhou o chão enojada E viu-a …a camisa de Vénus Abriu a boca abismada Foi buscar luvas e (...)

Pecados e picardias

23.08.15 | Fer.Ribeiro | comentar
A taverna  A Bertinha silenciosa Do seu recanto estratégico Levantou-se corajosa Pensativa no seu corpo enérgico   Saiu devagar cautelosa Regressou ao quarto Deitou-se ansiosa Pra pensar num facto Que a deixara furiosa   Como podia, como se atrevera Transformar a taverna

Pecados e picardias

16.08.15 | Fer.Ribeiro | comentar
A taverna  A Lurdes assumiu o comando -Pronto eu resolvo… -Só vou embora se levar as duas -Estás a ver se eu me comovo -Não te deixo outra vez fazer das tuas   Agora o Javardo e o Gerardo impacientes -Se for preciso fica tudo como dantes -Não! Disse a Joana - Quero ouvir -Está bem filha rematou a Lurdes