Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Crónicas estrambólicas - DJ Wild

03.06.15 | Fer.Ribeiro

estrambolicas

 

DJ Wild

 

O Filipe Coutinho, conhecido como DJ Wild, é um rapaz que trabalha como DJ na noite flaviense. Começou há muitos anos na discoteca Triunfo, depois passou pelo Ámiça, Platz, etc. Agora também vai a vários países da Europa passar música em discotecas. É do Couto de Dornelas (Boticas) e foi viver para Chaves há cerca de 20 anos. Além de passar música, gosta de compor e fazer música em casa. Acho que é uma pessoa com valor e que se deve louvar. A viver em Chaves e a trabalhar em discotecas do interior, também lança a sua música no mercado. Ultimamente, tem feito bandas sonoras para filmes portugueses. Há uns tempos ganhou o prémio de Melhor Banda Sonora num festival em Roma (notícia aqui)) com a música do filme Pecado Fatal. Com essa banda sonora, foi também um dos nomeados para Melhor Canção Original para os Prémios Sophia da Academia Portuguesa de Cinema, mas perdeu para o Clandestinos do Amor da Ana Moura. A RTP2 transmitiu a atribuição dos “Prémios Sophia 2015″, a partir do Grande Auditório do Centro Cultural de Belém. Goste-se ou não da música, acho que é de gabar este rapaz do Couto, flaviense adoptado, que apesar de ser um autodidacta e viver numa cidade do interior, nunca desistiu das suas paixões e sonhos, e anda por aí a ganhar prémios de prestígio e a rivalizar com gente como a Ana Moura. Se eu fosse presidente da câmara, juro que lhe mandava a casa 3 ou 4 presuntos mais umas garrafas de bons vinhos. Porque de prémios e medalhas, o rapaz não parece estar muito necessitado, mais vale deixa-las para pessoal mais desconhecido e mais necessitado delas.

 

 

 

Luís de Boticas