Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Crónicas estrambólicas - Internet in Interior

08.01.16 | Fer.Ribeiro

estrambolicas

 

Internet in Interior

 

A internet é uma maravilha para espalhar informação, que se torna ainda mais importante no interior, onde os habitantes dalgumas aldeias têm que se deslocar mais de 30 km para ir comprar um jornal ou um livro.

 

Parece-me também que a internet poderia ser muito útil para travar a desertificação do interior, não apenas por informar as pessoas mas por poder ser usada para criar empregos.

 

Creio que os Call Centers e os Contact Centers, localizados nas grandes cidades, poderiam ser facilmente deslocados para as regiões do interior, que é uma coisa que já está a ser feita nalgumas cidades como a Guarda, Beja, e outras, mas não em Chaves. São negócios que têm a vantagem de serem fáceis de montar e de baixo investimento. Basta uma sala, algumas dezenas de secretárias, um computador por secretária, e não muito mais. Um Call Center situado em Chaves teria a vantagem de poder servir empresas de Portugal e também de Espanha, derivado à localização fronteiriça e ao facto dos flavienses falarem castelhano ou de se poder contratar espanhóis sem dificuldades.


Outro tipo de negócios que poderiam ser montados em Chaves são a venda de roupas e acessórios online. Parece-me que as empresas do tipo La Redoute (esta empresa tem o seu armazém em Leiria, que distribui a roupa trazida em camiões desde França) poderiam ser facilmente instaladas em Chaves, até porque as encomendas são entregues através dos correios, não sendo muito importante a localização do ponto de distribuição. Talvez haja até vantagens na distribuição poder ser feita a partir de Chaves, ao lado de Espanha e da fronteira.

 

De certeza que haverá outro tipo de negócios que envolvem a internet e que poderiam funcionar no interior, sem a necessidade da conveniência da proximidade de portos de mar ou de grandes cidades. Parece-me que faltam apenas pessoas com iniciativa e vontade de fazer coisas, porque o investimento nalgumas destas empresas não é dos mais elevados.

 

Luís de Boticas