Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

01
Mai14

Discursos (emigrantes) Sobre a Cidade

 

Terra à Terra

 

Na vida de um emigrante, surgem amiúde meia dúzia de pequenos momentos que lhe relembram que está realmente fora do seu país. Datas em que o emigrante se sente realmente longe da sua terra, como que alheado de tudo o que aí se passa. Só, sem ninguém para poder partilhar o significado dessas datas que marcam não só a sua vida pessoal - como o aniversário de um familiar, a queima das fitas do primo ou o nascimento de mais um membro querido -, mas também a sua nacionalidade. Pois, além de não contabilizarem mais um feriado no calendário, quem entenderá o que é o 25 de Abril em Londres, na Alemanha, no Brasil, ou mesmo na vizinha Espanha?

 

Pode até haver quem ouça o cantarolar e a reprodução do bater das botas militares no chão da "Grândola Vila Morena" com graça, mas quem entenderá a força das palavras "o povo é quem mais ordena!"?

 

Pode até haver quem ouça a melancolia da "Trova do Vento que passa" com agrado, mas quem entenderá a intemporalidade e a actualidade das palavras "há sempre alguém que resiste, há sempre alguém que diz que não", apesar do vento que "cala a desgraça"?

 

"A guerra é a guerra", já dizia Fausto, e "A terra é a terra", diz o povo português. E para quem - há 40 anos (verdes 40 anos!) - viveu, sofreu as repercussões e/ou transformou radicalmente a vida dos seus sucessores à conta da ditadura, não estar presente na sua terra para celebrar a liberdade, de cravo na lapela, e ter de cantar baixinho e timidamente as músicas da revolução a ouvidos que não entendem a actualidade da quarentona poesia que nos legaram (pó nem vê-lo!), amarga bastante...

 

 Coimbra, 2005 - Fotografia de Sandra Pereira

 

Pois, tirando partido das "redes", que infelizmente quase deixaram de ser de pesca volvidos os tais 40 anos, que venha a terra à terra num grito de liberdade vindo do além fronteiras!

 

Aos doces revolucionários, porque nos contam que, há 40 anos, "foi bonita a festa, pá!"

 

Ao "25 de Abril sempre!" e aos filhos da revolução, porque nos contam que, digam o que disserem os anti-sistema, os desiludidos e a geração da "crise", o nosso país está hoje melhor, mais desenvolvido, mais seguro de si e dos seus valores, mais feliz, e Trás-os-Montes já tem auto-estrada! (sim, pensando na nossa terra de há 40 anos e na de hoje, a banda bem pode tocar sempre nesse dia em frente à Câmara Municipal).

 

À "Trova do vento que passa" e ao Manuel Alegre, Álvaro Cunhal, e muitos que, como eles, passaram pela nossa cidade de Chaves com destino à fronteira e nos fizeram sentir que também nós, isolados e alheados lá atrás dos montes, fomos um pouco revolucionários e ajudámos a mudar o rumo das coisas!

 

Do outro lado do Atlântico, também um dos nossos irmãos cantava, Caetano Veloso, "engraçado a força que as coisas têm, quando elas realmente têm que acontecer"... 25 DE ABRIL SEMPRE!

 

Sandra Pereira

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Sobre mim

foto do autor

320-meokanal 895607.jpg

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Flavienses Ilustres

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    • Fer.Ribeiro

      Relatório só após a conclusão das obras, ainda a d...

    • Fer.Ribeiro

      Pois não sei, mas posso tentar saber.

    • Anónimo

      O post está muito bom. Já agora aproveito para per...

    • TELMO A.R.RODRIGUES

      Cara amigo Luis Sancho o meu é Telmo Afonso R. Rod...

    • Anónimo

      Parabéns pelo seu trabalho, que é de louvar. Sobre...

    FB