Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Flavienses por outras terras

27.07.17 | Fer.Ribeiro

Banner Flavienses por outras terras

 

Jorge Araújo

 

Nesta crónica do espaço “Flavienses por outras terras” vamos até à cidade de Lisboa, local de destino de muitos Flavienses que um dia deixaram a sua terra.

 

É lá que vamos encontrar o Jorge Araújo.

 

Cabeçalho Jorge Araújo.png

 

Onde nasceu, concretamente?

Nasci em França, mas aos 9 anos voltei para Chaves para morar com uma tia no Bairro da Trindade.

 

Nos tempos de estudante, em Chaves, que escolas frequentou?

Frequentei a antiga Escola Primária da Estação, a Escola Nadir Afonso e a Escola Secundária Dr. Júlio Martins.

 

Em que ano e por que motivo saiu de Chaves?

Saí em 1990 para ir para a Universidade.

 

Em que locais já viveu ou trabalhou?

Em França, em Aveiro e em Lisboa.

 

Diga-nos duas recordações dos tempos passados em Chaves:

Os passeios de bicicleta até ao açude, em Vila Verde da Raia, e o velho Jardim das Freiras, onde se encontravam os amigos e se ficava por lá à conversa.

 

Proponha duas sugestões para um turista de visita a Chaves:

Obrigatoriamente a zona das Caldas, a beira-rio e o Forte de S. Francisco, e claro, o Pastel de Chaves.

 

Estando longe de Chaves, do que é que sente mais saudades?

Saudades da família e dos amigos e também de comer o verdadeiro Pastel de Chaves…

 

Com que frequência regressa a Chaves?

Sempre que posso, regra geral uma vez por mês.

 

O que gostaria de encontrar de diferente na cidade?

Uma cidade com mais oportunidades para não sermos obrigados a emigrar ou a sair da nossa terra.

 

Gostaria de voltar para Chaves para viver?

Sem dúvida! Atualmente com o teletrabalho já se consegue de vez em quando ficar mais um dia ou dois em Chaves. Quem sabe se no futuro não poderão ser mais dias…

 

Rostos até Jorge Araújo.png

 

O espaço “Flavienses por outras terras” é feito por todos aqueles que um dia deixaram a sua cidade para prosseguir vida noutras terras, mas que não esqueceram as suas raízes.

 

Se está interessado em apresentar o seu testemunho ou contar a sua história envie um e-mail para flavienses@outlook.pt e será contactado.