Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Granjinha - Chaves - Portugal

13.01.18 | Fer.Ribeiro

1600-granjinha (327)

 

Há aldeias que surpreendem e encantam pelo seu conjunto, principalmente quando são avistadas a uma certa distância em que não dá para repararmos nos seus pormenores. Há outras aldeias que, por estarem tão aconchegas as encostas do terreno, só damos por elas quando entramos na sua intimidade. A Granjinha é uma dessas aldeias que surpreende e encanta na sua intimidade.

 

1600-granjinha (341)

1600-granjinha (348)

 

Mas as coisas, os sentimentos, os gostos a opinião,  não são tão subjetivas assim, na realidade temos de aprender e educar o olhar para despertar os sentimentos, apurar os gostos e definirmos a nossa opinião, mas não só. Digo isto porque só a partir da terceira entrada na intimidade da Granjinha é que me começou a surpreender e encantar, pois nas duas primeiras abordagens à Granjinha, ia com tarefas definidas, em trabalho, sem espaço para outras observações e encantamentos. Assim, quando fui por lá com olhos de ver, já para trazer aqui ao blog a Granjinha, foi como se fosse a primeira vez, e cheguei a acreditar que era, não fosse depois vir-me à memória os outros dois momentos passados.

 

1600-granjinha (295)

 

Mas também estes encontros surpreendentes e de encantos dependem muito de momentos, quer sejam da hora, do dia, do ano e até de nós próprios. Pois a terceira abordagem à Granjinha todos os momentos, bons momentos, estavam reunidos num só. E quer acreditem ou não, ao descer a calçada de entrada na sua intimidade, acolhido ali entre os muros altos por onde as heras trepavam, numa sombra deliciosa de um dia quente de verão, parei e por ali fiquei uns minutos, em estado de espanto, contemplação, no silêncio consentido, digamos que entrei num momento zen.

 

1600-granjinha (377)

 

Depois desse dia, às vezes, dou comigo por lá, os momentos primeiros, virginais,  nunca mais se repetiram, é certo, principalmente porque já não sou surpreendido, mas  a Granjinha continua a encantar com  outros momentos, granjearam-se amizades e descobertas que fazem sempre valer a pena uma visita, sem ser preciso penar para lá ir, antes pelo contrário.

 

1600-granjinha-art

 

E por hoje é tudo, quanto à Granjinha, se quiser saber e ver mais, pode procurar na pesquisa do blog, pois já lhe dedicámos alguns posts, mas como sempre o meu conselho é mesmo ir lá, ver com os próprios olhos, ainda por cima quando esta aldeia fica aqui mesmo ao lado da cidade, a um passo apenas.