Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Mairos - Chaves - Portugal

03.03.18 | Fer.Ribeiro

1600-mairos (244)

 

Quem acompanha o blog, sabe que já aqui passámos todas as aldeias do concelho de Chaves, individualmente mais que uma vez, mas também integradas no post dedicado a cada freguesia. Assim esta nova ronda pelas nossas aldeias não pretende dar conhecê-las, pois isso já o fizemos anteriormente e em qualquer momento podem consultar o que foi dito e mostrado, bastando fazer uma pesquisa dentro do blog.

 

1600-mairos (6)

 

Esta nova ronda apenas pretende trazer aqui algumas imagens que não couberam nas anteriores seleções e fazer um ou outro apontamento sobre a aldeia convidada, que hoje toca a vez a Mairos.

 

1600-mairos (160)

 

Quem vê as imagens quase parece ser uma aldeia do vale de Chaves, no entanto é uma das aldeias mais altas do concelho, e a freguesia (penso não estar errado) atinge mesmo o ponto mais alto do concelho na Cota de Mairos, nos seus 1088 metros de altitude. Pois é, embora a serra do Brunheiro mostre a sua imponência à cidade de Chaves, a serra de Mairos tem mais 170 metros de altura, dai não ser estranha vê-la de vez em quando pintada de Branco.

 

1600-mairos (88)

 

Quanto à aldeia que também é freguesia, podemos dizer que tem um bocadinho de tudo, com alguns destaques e interesses que a colocam numa das aldeias do concelho de Chaves de visita obrigatória. Passemos então e mencionar alguns dos pontos de interesse da aldeia, para além do conjunto de toda a aldeia que tão interessante é na sua intimidade como vista ao longe de vários ângulos, pelo menos três são possíveis.

 

1600-mairos (365)-1

 

Quanto às vistas desde a aldeia, também são interessantes, mas se forem desde a freguesia de Mairos, basta subir a Cota de Mairos e aí temos vistas lançadas a 360º, de onde se avistam todo o vale de Chaves e concelhos vizinhos, sem esquecer o mar de montanhas galegas. Aliás metades das vistas que desde aí se alcançam, são lançadas para a Galiza, à qual pertence metade da Serra de Mairos.

 

1600-mairos (282)

 

Pois em termos do seu património, podemos destacar o património arquitetónico religioso com a capela, a igreja e umas singulares alminhas/peto, sem dúvida alguma as mais interessantes que conheço.

 

1600-mairos (203)

 

Também em termos históricos e arqueológicos e etnográficos Mairos marca pontos, com um campo arqueológico e um museu etnográfico instalado no antigo quartel da Guarda-Fiscal.

 

1600-mairos (121)

 

A albufeira de Mairos é outro dos pontos de interesse, não só pelas vistas, mas também pela frescura que transmite no verão, além de chamar a si alguma fauna que antes não existia por lá. Já em tempo tive oportunidade de deixar aqui fotografias de um bando de corvos marinhos que faziam por lá a sua paragem, entre outras espécies.

 

1600-mairos (21)

 

Também uma referência à arquitetura rural transmontana com muitos e interessantes exemplares, numa aldeia que ainda mantém a sua integridade arquitetónica, com as construções novas a ocuparem espaços da periferia da aldeia.

 

1600-mairos (379)-art

 

Por último é uma aldeia com vida, onde há sempre gente, crianças e movimento, não só da própria aldeia mas também de quem por lá passa, pois a sua estrada é uma das alternativas de acesso às aldeias da Montanha, desde S.Cornélio até Segirei, mas também para Roriz e terras da Castanheira.

 

Resumindo, é uma das aldeias de visita obrigatória, sem esquecer subir à Cota de Mairos desde onde tudo se avista.