Domingo, 31 de Dezembro de 2017

O Barroso aqui tão perto - Azevedo

1600-azevedo (8)

montalegre (549)

 

No último dia deste ano de 2017 vamos até mais uma aldeia do Barroso, mais propriamente até Azevedo. E os que não são de lá ou de perto, pela certa perguntarão onde fica Azevedo. Pois já sabemos que é no Barroso de Montalegre e fica junto à estrada municipal M308, entre Xertelo e Lapela, com Chelo também por perto e com vistas lançadas paras as três Penedas, perto do Rio Cávado e já em pleno Parque Nacional da Peneda/Gerês.

 

1600-azevedo (4)

 

Os dados atrás deixados já eram suficientes para chegarmos até Azevedo, mas como sempre, vamos ser mais precisos, traçando o habitual itinerário com partida da cidade de Chaves. Embora tenhamos várias alternativas de itinerários para irmos até ao Barroso, há duas que são as mais utilizadas. Uma é a Estrada Nacional 103 (estrada de Braga) e outra é a Estrada Municipal 507, para nós comummente conhecida por estrada do S.Caetano ou de Soutelinho Da Raia. A que nós mais apreciamos é esta última, assim, vamos optar por esta para ir até Azevedo.

 

1600-azevedo (1)

 

O itinerário é de aproximadamente 75 km. Com partida de Chaves, Soutelinho da Raia, Montalegre. A partir de Montalegre basta seguir a corrente do Rio Cávado, mas como ele nem sempre é visível desde a estrada, saímos de Montalegre em direção ao Sr. da Piedade ou campo de futebol, seguindo sempre pela estrada principal até Sezelhe. Em Sezelhe, no cruzamento atenção à placas indicativas. Devemos tomar as que nos mandam para Travassos, Covelães e Parque Nacional da Peneda Gerês, ou seja a N308 pela qual devemos seguir até à Barragem de Paradela e aldeia do mesmo nome. No cruzamento da aldeia de Paradela, viramos à direita e descemos até ao paredão da barragem, o qual devemos atravessar.

 

1600-azevedo (11)

 

A Partir do paredão da barragem de Paradela até Azevedo, só temos mais três aldeias (Sirvozelo, Cela e Lapela). Atenção que nenhuma destas aldeias fica junto à estrada, tal como Azevedo, Assim é preciso ir com atenção para ver a placa de desvio.  Mas como sempre deixamos também o nosso mapa e as coordenadas do local, que são:

41º 44’ 22.00” N

7º 59’ 58.11” O

 

azevedo-mapa.jpg

 

Tal como já tivemos oportunidade de dizer a aldeia de Azevedo não é atravessada pela estrada principal e tão pouco é visível a partir dela. A entrada na aldeia faz-se por uma rua bem  ingreme, tal como a montanha onde está implantada. Afinal já estamos na Serra do Gerês, não é de estranhar. Inclinação que se prolonga ao longo da rua principal que acaba por ter continuação até ao Rio Cávado com passagem para a Peneda de Baixo, embora todas próximas e implantadas na outra margem do Rio Cávado, numa encosta igualmente ingreme, a mais próxima é mesmo a Peneda do Meio, de onde se tem uma vista privilegiada para a aldeia de Azevedo. Fica a foto de Azevedo vista desde a Peneda do Meio:

 

1600-peneda-meio (2)

 

A entrada da aldeia surpreende-nos com um cruzeiro de fabrico recente colocado num largo à beira da rua. Depois um conjunto de casas de construção mais recente acabando num pequeno núcleo mais antigo. A partir de aqui e depois de uma curva com quase 360º, igualmente ingreme, entra-se na parte mais interessante da aldeia com passagem pela antiga escola primária e a terminar na pequenina capela cujo átrio é um autêntico miradouro.

 

1600-azevedo (27)

 

Mas o mais interessante é mesmo toda a rua e o casario mais disperso. Rua que se faz quase toda por debaixo de latadas de videiras, que no dia em que lá fomos, dia 15 de julho deste ano que termina, por volta do meio-dia, bem agradecemos a sombra onde dava mesmo vontade de ficar. Latadas que ainda se vão vendo em algumas aldeias da região, algumas poucas no Barroso mas também nos concelhos vizinhos, mas que com o tempo e com falta de quem as mantenha, vão morrendo ou são desmontadas. Pena, pois davam um ar interessante às aldeias além de alguma frescura às ruas e casas próximas, que nos nossos verões de inferno, bem se agradecem.

 

1600-azevedo (32)

 

Claro que se das Penedas se têm vista privilegiadas para Azevedo, também o contrário é verdade. No post das 3 Penedas já tivemos oportunidade de deixar essas vistas. Hoje deixamos aqui algumas vistas tomadas desde Azevedo paara as encostas de Covelo do Gerês e de Ferral, onde ao longe apenas se veem duas cores, o verde das encostas das montanha e o azul do céu.

 

1600-azevedo (36)

 

Quanto ao verde entre o qual se implanta a aldeia de Azevedo bem como o que a partir da aldeia se avista, não é de admirar, ou melhor, admiramos-lhe a beleza, mas não nos surpreende a sua existência, pois embora se tenha a Serra do Gerês por companhia, estamos nas terras mais baixas do Barroso, e embora Azevedo esteja implantada entre os 657 e os 579 metros, o Cávado nesta zona já está a uma cota de 400m. No entanto, Cabril (sede de freguesia) que fica a apenas 4 quilómetros de Azevedo já tem cotas de 270 metros de altura. Claro que as fotografias não mostram o que está nas nossas costas, pois mesmo ali atrás delas iniciam-se as inclinações da Serra do Gerês despida de qualquer vegetação, ou quase, pois só mesmo aquela rasteirinha é que lhe resistem.

 

1600-azevedo (37)

 

Por estas inclinações e a proximidade dos rios adivinham-se por perto muitas cascatas, e de facto existem, mas são quase todas de acessos difíceis, onde não se pode ir de popó, que tem sido o nosso meio de transporte. As cascatas da proximidade ficarão para um post futuro, mas primeiro ainda temos a agradável tarefa que no entanto se adivinha árdua, de ir fotografá-las, e claro, também vai ser preciso alguma chuva para que as cascatas se deixem ver. Não sei para quando, mas ficam prometidas.

 

1600-azevedo (12)

 

Vamos agora ao topónimo de Azevedo, que comummente é apelido de gente. Vamos ver o que nos diz a “Toponímia de Barroso”:

 

Azevedo

Topónimo  referido a “azevo”, com o sufixo ETU EDO. É possível explicar-se a viagem até azevo desde o longínquo AQUIFOLIU. Trata-se de nome de lugar referido a plantas com parentesco ao azevinho. Enquanto tal o topónimo aparece já em:

-1258 « et in Azevedo dixit quod habentur ibi» INQ 519 – mas não referido à villa barrosã, que não aparece nas INQUIRIÇÕES. De qualquer modo ficamos a saber que o topónimo já vigorava nessa data e na forma que ainda se mantém.

1600-azevedo (28)

 

Na “Toponímia Alegre” parte integrante da “Toponímia de Barroso” podemos ainda ficar a saber os “apelidos de Cabril, onde consta também o de Azevedo:

 

“Apelidos” de Cabril

 

Moeda falsa de Lapela,

Vinho-azedo de Azevedo,

Cava-touças de Sertelo,

Escorricha-picheis de S.Lourenço,

Rabões de Chelo,

Bufos de Vila Boa,

Lagartos de Fontaínho,

Cinzentos de Chãos,

Carrapatas de Cavalos,

Paparoteiros da Vila,

Dente-Grande da Ponte,

Pousa-fois na Chã de Moinho,

Raposas de Busto.Chão,

Esfola-vacas de São Ane,

Ferra-bestas de Pincães,

Putaria de Fafião.

 

1600-azevedo (34)

 

E na “Toponímia Alegre” ainda temos mais estas:

 

Se fores a Cabril leva pão

Que vinho lá to darão.

 

Vou-me casar a Cabril,

O Sítio do meu degredo:

É terras de muito padre

Canta lá o cuco cedo!

 

1600-azevedo (14)

 

Para além destas referências da “Tponímia de Barroso” encontrámos na NET um perfil no facebook que dá pelo nome de Lugar de Azevedo – Cabril – Montalegre: Fica o link para uma visita:

https://www.facebook.com/lugardeazevedo.cabrilmontalegre

 

1600-azevedo

 

Bem queria deixar por aqui mais qualquer coisa sobre a aldeia de Azevedo, mas nas minhas pesquisas mais nada encontrei sobre a aldeia, aliás apenas encontrei duas referências ao topónimo da aldeia no livro “Montalegre”, mas apenas a dizer que fazia parte da freguesia de Cabril.

 

1600-azevedo (7)

 

Dizer que é uma aldeia que também sofre de despovoamento e do envelhecimento da população, também já não é novidade, pois vai sendo uma constante em todas as aldeias, principalmente as mais pequenas, como é o caso, e as mais distantes dos grandes centros, vilas ou cidades sede de concelho. Mas uma coisa posso acrescentar e que quase nunca o referi aqui. Estas aldeias, além de despovoamento e envelhecimento têm também outros sofreres – o isolamento, não só o de já por si estarem isoladas, mas o isolamento que é provocado e agravado pela dificuldade de meios e acessos/ligações a apoios sociais, acesso à saúde, à educação e muito mais. Por muito agradável que seja uma aldeia e que por aí se diga que nelas existe qualidade de vida, as coisas não são bem assim, e às vezes, não sei se é o caso, até o acesso a coisas que hoje são tão comuns nas nossas vidas lhes são negadas, como a televisão ou o telemóvel, pois muitas destas aldeias não são servidas por falta de rede, e que qualidade de vida poderá nestas aldeias existir se nada têm para além da sua gente, de contarem uns com os outros e do trabalho das terras. Tudo que nós precisamos, necessidades primárias, também nas aldeias precisam, mas nós aqui na cidade ou nas vilas podemos encontrar o que queremos no dobrar de uma ou outra esquina, na maioria das aldeias,  nada existe para além da gente e das suas casas. O que necessitam só na Vila mais próxima ou cidade, e estamos a falar de gente que na grande maioria não tem viatura própria nem transportes públicos a passarem-lhe à porta ou na aldeia. São resistentes que, por amor ao berço, à terra onde nasceram, onde sempre viveram e criaram os seus filhos, querem por lá ficar até morrer, com todo o direito. Certo que não são exigentes, cada vez são menos e cada vez menos contam em termos estatísticos e políticos processados em folhas de Excel, mas, não me canso de mencionar Torga quando dizia:  “ Entro nestas aldeias sagradas a tremer de vergonha. Não por mim, que venho cheio de boas intenções, mas por uma civilização de má-fé que nem ao menos lhes dá a simples proteção de as respeitar”.

 

E com esta me vou… com votos de um bom ano de 2018 para todos.

 

1600-azevedo (5)

 

Só faltam mesmo as referências às consultas e os links para os post anteriores dedicados ao Barroso.

 

Bibliografia

 

BAPTISTA, José Dias, (2006), Montalegre. Montalegre: Município de Montalegre.

BAPTISTA, José Dias, (2014), Toponímia de Barroso. Montalegre: Ecomuseu – Associação de Barroso.

 

Links para anteriores abordagens ao Barroso:

 

A

A Água - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-a-agua-1371257

Algures no Barroso: http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-1533459

Amial - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-ameal-1484516

Amiar - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-amiar-1395724

Antigo de Sarraquinhos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-antigo-de-1581701

Arcos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-arcos-1543113

 

B

Bagulhão - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-bagulhao-1469670

Beçós - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-becos-1574048

Bustelo - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-bustelo-1505379

 

C

Cambezes do Rio - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-cambezes-do-1547875

Caniçó - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-canico-1586496

Carvalhais - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-carvalhais-1550943

Castanheira da Chã - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-castanheira-1526991

Cela - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-cela-1602755

Cepeda - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-cepeda-1406958

Cerdeira - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-cerdeira-1576573

Cervos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-cervos-1473196

Contim - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-contim-1546192

Cortiço - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-1490249

Corva - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-corva-1499531

Covelães - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-covelaes-1607866

 

D

Donões - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-donoes-1446125

 

F

Fervidelas - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-fervidelas-1429294

Fiães do Rio - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-fiaes-do-1432619

Fírvidas - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-firvidas-1466833

Frades do Rio - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-frades-do-1440288

Friães - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-friaes-1594850

 

G

Gralhas - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-gralhas-1374100

Gralhós - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-gralhos-1531210

 

L

Ladrugães - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-ladrugaes-1520004

Lapela   - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-lapela-1435209

Larouco - Um olhar sobre o Larouco - http://chaves.blogs.sapo.pt/2016/06/19/

 

M

Meixedo - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-meixedo-1377262

Meixide - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-meixide-1496229

Mourilhe - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-mourilhe-1589137

 

N

Negrões - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-negroes-1511302

Nogeiró - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-nogueiro-1562925

 

O

O colorido selvagem da primavera http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-o-colorido-1390557

Olhando para e desde o Larouco - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-olhando-1426886

Ormeche - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-ormeche-1540443

 

P

Padornelos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-padornelos-1381152

Padroso - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-padroso-1384428

Paio Afonso - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-paio-afonso-1451464

Parafita: http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-parafita-1443308

Pardieieros - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-pardieiros-1556192

Paredes de Salto - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-paredes-1448799

Paredes do Rio -   http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-paredes-do-1583901

Pedrário - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-pedrario-1398344

Peneda de Cima, do Meio e de Baixo, as Três Penedas: http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-as-tres-1591657

Penedones -  http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-penedones-1571130

Pereira - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-pereira-1579473

Pomar da Rainha - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-pomar-da-1415405

Ponteira - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-ponteira-1481696

 

R

Reboreda - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-reboreda-1566026

Roteiro para um dia de visita – 1ª paragem - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-roteiro-1104214

Roteiro para um dia de visita – 2ª paragem - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-roteiro-1104590

Roteiro para um dia de visita – 3ª paragem - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-roteiro-1105061

Roteiro para um dia de visita – 4ª paragem - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-roteiro-1105355

Roteiro para um dia de visita – 5ª paragem, ou não! - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-roteiro-1105510

 

S

São Ane - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sao-ane-1461677

São Pedro - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sao-pedro-1411974

Sarraquinhos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sarraquinhos-1560167

Sendim -  http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sendim-1387765

Senhora de Vila Abril - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-senhora-de-1553325

Sexta-Freita - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sao-bento-de-1614303

Sezelhe - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sezelhe-1514548

Solveira - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-solveira-1364977

Stº André - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sto-andre-1368302

 

T

Tabuadela - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-tabuadela-1424376

Telhado - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-telhado-1403979

Torgueda - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-torgueda-1616598

Travassos da Chã - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-travassos-1418417

 

V

Vilar de Perdizes - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilar-de-1360900

Vilar de Perdizes /Padre Fontes - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilar-de-1358489

Vilarinho de Arcos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilarinho-1508489

Vilarinho de Negrões - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilarinho-1393643

Vilaça - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilaca-1493232

Vilar de Perdizes - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilar-de-1360900

Vilar de Perdizes /Padre Fontes - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilar-de-1358489

Vilarinho de Negrões - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilarinho-1393643

 

X

Xertelo - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-xertelo-1458784

 

Z

Zebral - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-zebral-1503453

 

 

 

´
publicado por Fer.Ribeiro às 05:07
link do post | comentar | favorito

.Fotos Fer.Ribeiro - Flickr

frproart's most interesting photos on Flickriver

.meu mail: blogchavesolhares@gmail.com

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


22
27
28

29
30


.pesquisar

 
blogs SAPO
ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

 

 

El Tiempo en Chaves

.Facebook

Fernando Ribeiro

Cria o teu cartão de visita Instagram

.subscrever feeds

.favorito

. Blog Chaves faz hoje 13 a...

. Solar da família Montalvã...

.posts recentes

. Cidade de Chaves - Um olh...

. Ocasionais - O Museu de F...

. 25 de Abril - Sempre!

. Crónicas de Assim Dizer -...

. Cidade de Chaves - Um olh...

. Chaves D´Aurora

. De regresso à cidade

. Quem conta um ponto...

. Nogueira da Montanha - Ch...

. Pedra de Toque

. Cinco dias cinco postas

. O meu ensaio sobre a cegu...

. Ocasionais

. Cinco dias cinco postas

. Pergaminho dobrado em doi...

.Blog Chaves no Facebook

.Veja aqui o:

capa-livro-p-blog blog-logo

.Olhares de sempre

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

Add to Technorati Favorites