Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

21
Jun20

O Barroso aqui tão perto - Freguesias de Vilar e S. Salvador de Viveiro

Freguesias de Barroso - Concelho de Boticas

1600-c-out-lasanho (76).jpg

1600-cabecalho-boticas

 

Tal como tínhamos prometido no início desta ronda pelas aldeias de Barroso do concelho de Boticas, após a conclusão de todas as aldeias de uma freguesia, traríamos aqui um post resumo dedicado à freguesia. Pois temos concluídas todas as aldeias da freguesia de Vilar e São Salvador de Viveiro, daí, estarmos aqui hoje com o post resumo desta freguesia, com alguns dados dos seus dados gerais, e aproveitamos também a ocasião para trazer aqui alguns temas dos hábitos comunitários das aldeias de Barroso, hoje o tema será o da  “A Bênção do Gado”.

 

2 - mapa freguesia atual.jpg

Localização da freguesia de Vilar e S. Salvador de Viveiro

grafico vilar e viveiro.jpg

Evolução do número de habitantes das antigas e atual freguesia

 

 

Antigas freguesias de Vilar e São Salvador de Viveiro.

 

A freguesia de Vilar é uma das mais antigas freguesias de Barroso, aparecendo já nos censos de 1864 a 1930, com a sua antiga designação de freguesia de Vilar de Porro. Pelo decreto-lei nº 27,424, de 31/12/1936, foi-lhe dada a designação de Vilar.

 

Por sua vez, a freguesia de São Salvador de Viveiro é muito mais recente, pois apenas foi criada em 1967 - Pelo decreto lei nº 47.516, de 28/01/1967, com lugares desanexados da freguesia de Covas do Barroso.

 

1 - boticas-antig-freg.jpg

 

Com a reforma administrativa de 2013, a freguesia de São Salvador de Viveiro é extinta. Sendo anexada a outra freguesia. Pela lógica, pensamos nós que deveria ser anexada à freguesia de onde foi desanexada (Covas de Barroso), mas não, foi anexada à freguesias de Vilar, passando esta nova freguesia a designar-se por Vilar e São Salvador de Viveiro.

 

Assim sendo, a história da freguesia de Vilar e São Salvador de Viveiro anexadas é muito recente, pelo que faremos a abordagem desta atual freguesia a partir das antigas freguesias de Vilar e antiga freguesia de São Salvador de Viveiro.

 

1600-vilar (148)-a.jpg

 

Antiga freguesia de Vilar

 

Evolução da População na Freguesia.

 

Nos anos de existência deste blog tenho-me dedicado um bocadinho ao estudo da evolução da população das nossas freguesias,  e salvo raras exceções, pegando nos números dos Censos desde 1864 até 2011, podemos dizer que o comportamento das linhas do gráficos e respetivas linhas de tendência,  são idênticas para todas as freguesias, apenas alteram os valores, ou seja, existe uma linha de tendência de subida de população desde 1864 até 1960, com a única exceção dos valores de 1920, onde há uma notória descida, que está perfeitamente explicada por três fatores. O primeiro o da I Grande Guerra, segundo, um bocadinho dependente da primeira, um forte onde de emigração para o Brasil e o terceiro, o da pandemia de 1918/19, a pneumónica (ou gripe espanhola) que dizimou entre 60.000 a 100.000 portugueses, isto numa altura em que a população portuguesa era cerca de metade da atual (pouco mais de 6 milhões de habitantes).  A partir de 1960, a forte onda de emigração para a Europa e a migração interna para os grandes centros e cidades em geral, faz com que a linha de tendência desça abruptamente em direção ao zero, o que é preocupante, bem preocupante, pois a manter-se esta tendência, dentro de 20 anos as aldeias ficam sem população. Esperemos mais um ano, pelos Censos de 2021, para ver onde isto vai parar. Fica então o gráfico de Vilar:

 

grafico vilar.jpg

Evolução da população desde o Censos de 1864 a 2011

 

Alguns dados da freguesia

 

Localização geográfica: A freguesia de Vilar situa-se na parte Centro/Este do concelho de Botica.

Distância relativamente à sede do concelho: aproximadamente 8 km

Acesso viário: Pela ER 311, virando na indicação Vilar segue-se pela EM 528

Área total da freguesia: 12,1 km2

Localidades:  Carvalho e Vilar, sede de freguesia

População: 238 habitantes[i]

Orago: Nossa Senhora da Guia

 

vilar-antig-freg.jpg

 

Festas e Romarias:

- Nossa Senhora da Guia, 15 de Agosto, Vilar

- Senhor dos Milagres, 1º domingo de Setembro, Vilar

- SÃO Mateus,* 21 de Setembro, Carvalho

 

Património Arqueológico

Castro Alto do Crasto / Castelo dos Mouros Gravuras de Chainça Gravuras de Quilhoso Tumulus.

 

1600-vilar (203)4-5.jpg

Igreja Paroquial Senhora da Guia (Vilar)

Património Edificado

- Capela do Senhor dos Milagres (Vilar)

- Cruzeiros (Vilar)

- Fonte de Mergulho (Vilar)

- Fornos do Povo de Vilar (Arrabal de Baixo e Arrabal de Cima)

- Igreja Paroquial Senhora da Guia (Vilar)

 

Alojamento Turismo Rural - Casa da Eira Longa (Vilar)

 

1600-vilar (214).jpg

Casa da Eira Longa - Alojamento de turismo rural

Rede de Tabernas do Alto Tâmega

 

Marcas da História Antiga

 

VILAR

Alto do Crasto ou Castelo dos Mouros

Designação: Alto do Crasto / Castelo dos Mouros

Localização: Vilar

 

Descrição: o Castro de Vilar de Porro fica abaixo da aldeia de Vilar, mesmo ao lado do sítio de Fervença, e é designado pelo povo como Castelo dos Mouros. Embora tenha três patamares ascendentes e uma muralha na borda de cada um deles, as suas condições de defesa estão longe das dos outros castro da região, que com muralhas altas ofereciam muito boas condições de defesas. O patamar da base na linha Leste/Oeste tem cerca de 35 m de largura. A este patamar segue-se para Oeste uma rampa ascendente com 10 m de comprimento, e a seguir o segundo patamar que na linha Leste/Oeste tem 11 m de largura. Logo se empina nova rampa ascendente que na mesma linha tem 5 m de comprimento e conduz ao patamar cimeiro ou coroa do castro com 80 m de comprimento. Existem vestígios de várias construções circulares.

 

1600-vilar (369).jpg

Capela do Senhor dos Milagres (Vilar)

 

Aldeias da antiga  Freguesia de Vilar

 

A freguesia de Vilar era constituída apenas por duas aldeias, a aldeia de Vilar, sede de freguesia,  e a aldeia de Carvalho.

 

1600-vilar (56).jpg

Vilar

 

Aldeia de Vilar

 

Para quem quiser rever mais alguns dados sobre a aldeia de vilar, basta seguir este link para o post que lhe dedicámos: VILAR 

 

1600-carvalho (10) - 1.jpg

 

Aldeia de Carvalho

Para quem quiser rever mais alguns dados sobre a aldeia de Carvalho, basta seguir este link para o post que lhe dedicámos: CARVALHO 

 

 

Antiga freguesia de São Salvador de Viveiro

 

viveiro-antig-freg.jpg

 

 

Evolução da população na freguesia de S. Salvador de Viveiro

 

Ao contrário de Vilar, uma freguesia já muito antiga,  a freguesia de de S. Salvador de Viveiro é muito mais recente, pois apenas foi criada em 1967 - Pelo decreto lei nº 47.516, de 28/01/1967, com lugares de Viveiro, Agrelos, Bostofrio e Campos, todos desanexados da freguesia de Covas do Barroso.

 

Assim os dados que temos sobre o evoluir da população são apenas os dos 5 Censos realizados entre o Censos de 1970 e o de 2011, iniciando em 1970 com uma população de 690 habitantes para em 2011 possuir apenas 293, com uma linha de tendência a descer abruptamente para o zero. Fica então o gráfico de Viveiro:

 

grafico viveiro.jpg

Evolução do número de habitantes da freguesia de S. Salvador de Viveiro

 

Outros dados da Freguesia

 

Localização geográfica: A freguesia de São Salvador de Viveiro situa-se na parte Centro/ Oeste do concelho de Boticas.

Distância relativa à sede do concelho: aproximadamente 11,5 km

Acesso viário: pela ER 311 até aparecer a indicação Viveiro. Percorre-se um pequeno troço da EM 519-B e segue-se pelo CM 1036. Em alternativa segue-se pela ER 311 e, virando na indicação Viveiro, segue-se pelo CM 1036.

 

Área total da freguesia: 18,8 Km2

 

Localidades: Agrelos, Bostofrio, Campos e Viveiro, sede da freguesia.

 

População: 345 habitantes[ii]

 

Orago: Divino Salvador do Mundo

 

1600-viveiros (5).jpg

São Salvador do Mundo - Viveiro

 

Festas e Romarias:

- Santo Amaro,* 15 de Janeiro, Campos

- SÃO Sebastião, Janeiro, Viveiro

- SÃO Marçal,* 30 de Junho, Bostofrio

- Divino Salvador do Mundo ou São Salvador do Mundo, segundo Domingo de Agosto, Viveiro

- SÃO Mamede, 17 de Agosto, Agrelos

 

Património Arqueológico

- Alto da Raposeira / Agrelos (Tumulus)

- Castro do Lesenho (Campos) - Património Classificado (IIP)

- Reigal / Chã de Lesenho (Tumulus)

- Sepultura

 

1600-c-out-lasanho (90).jpg

 

 

Património Edificado

- Capela de São Mamede (Agrelos)

- Capela de São Marçal (Bostofrio)

- Capela de Santo Amaro (Campos)

- Capela de Viveiro

- Casa do Morgado de Agrelos

- Cruzeiro – Agrelos

 

1600-viveiros (21).jpg

Viveiro

 

Marcas da História Antiga

 

SÃO SALVADOR DE VIVEIRO

 

Castro do Lesenho (Património Classificado - IIP)

Designação: Castro do Lesenho

Localização: Campos (São Salvador de Viveiro)

 

1600-c-out-lasanho (40).jpg

 

 

Descrição: o Castro do Lesenho encontra-se a cerca de 700 m da aldeia de Campos, freguesia de São Salvador de Viveiro.

 

Este castro é um monte cónico e pedregoso cuja altura se pode calcular em 50 a 60 metros. Tem três linhas de muralhas, sendo a cimeira a melhor definida pelos alinhamentos de pedras em montão caótico, a entestar os penedos. A segunda e terceira muralhas, na sua maior parte derruídas, são também assinaladas pelas fiadas de montões de pedras. A maior parte das muralhas têm dois metros de largura. Além da porta aberta na muralha fundeira, que pode considerar-se a entrada principal, há mais duas portas, uma no topo da terceira muralha, a outra no lado Poente da primeira muralha. O Castro do Lesenho notabiliza-se pelo facto de nele se terem encontrado, talvez no século XVIII, quatro estátuas de Guerreiros Galaicos ou Calaicos Na base Nordeste do castro foi encontrado um pequeno penedo com gravuras. O monte onde se localiza o castro, dada a sua altitude e localização, é um excelente miradouro natural. Daí avistam-se uma vastidão de paisagens: a Norte os Cornos das Alturas, as cristas da Serra do Gerês e a Serra do Larouco, pelo Nascente a Serra de Sanábria (Galiza); além Tâmega a Serra de Santa Bárbara, para Sul o Alvão e o Marão; mais perto a Serra da Cabreira, os cerros de Cabeceiras de Basto e a Serra da Eira.

 

Festas e Romarias

 

Festa de São Sebastião em Viveiro (São Salvador de Viveiro)

A celebração ao São Sebastião em Viveiro não tem uma data fixa pois a sua realização depende da disponibilidade do pároco. Esta festa conta com a presença das pessoas da aldeia a quem é distribuído pão e vinho. É cada uma das casas da aldeia que, num sistema de rotatividade, anualmente organiza a compra e Festa de São Sebastião em Viveiro (São Salvador de Viveiro) distribuição do pão e do vinho, ou seja, é o mordomo que compra o pão e o vinho com que enche o pipo da festa, um pipo que anda à roda pelos mordomos. Nesse dia celebram uma missa e sermão em honra de São Sebastião. Finda a missa juntam-se no largo e procedem à distribuição do pão e do vinho entre os fiéis

 

1600-viveiros (13).jpg

Divino Salvador do Mundo ou  São Salvador do Mundo - Viveiro

 

Festa do Divino Salvador do Mundo ou  São Salvador do Mundo

Realiza-se no início de Agosto junto ao santuário do Divino Salvador do Mundo em Viveiro. Manda a tradição que esta festa, que é a maior festa da freguesia e uma das maiores do concelho, se realize no dia 6 de Agosto se coincidir num domingo. Caso contrário celebra-se no domingo a seguir ao dia 6.

 

O Divino Salvador do Mundo é o protector dos animais, pelo que, no dia da festa (ou no dia antes), os lavradores levam o gado para a “bênção do gado” Festa do Divino Salvador do Mundo ou São Salvador do Mundo (ver pág. 123) e com ele andam à volta da igreja para que os proteja das maleitas ou em agradecimento a benesses recebidas. Manda a tradição que estas voltas constituam uma novena (9 voltas) ou então 3 ou 6 voltas.

 

Nesse dia celebram uma missa e fazem uma procissão com 7 andores acompanhada por uma banda musical. Procede-se também ao leilão das oferendas. À noite a festa continua, na aldeia, num animado arraial popular a que não falta também o tradicional

 

Aldeias da antiga freguesia de São Salvador de Viveiros

 

1600-agrelos (2).jpg

Agrelos

Agrelos

Para quem quiser rever mais alguns dados sobre a aldeia, basta seguir este link para o post que lhe dedicámos: Agrelos  

 

1600-bostofrio (447).jpg

Bostofrio

Bostofrio

Para quem quiser rever mais alguns dados sobre a aldeia, basta seguir este link para o post que lhe dedicámos: Bostofrio 

 

1600-c-out-lasanho (5).jpg

Campos

Campos

Para quem quiser rever mais alguns dados sobre a aldeia, basta seguir este link para o post que lhe dedicámos: Campos  

 

1600-viveiros (193).jpg

Viveiro

Viveiro

Para quem quiser rever mais alguns dados sobre a aldeia, basta seguir este link para o post que lhe dedicámos: Viveiro   

 

 

E agora, tal como fazemos com cada aldeia, vamos aqui deixar o vídeo dedicado à freguesia, com uma seleção de imagens de cada aldeia e as imagens de hoje.

 

Vídeo resumo com imagens da freguesia:

 

 

Tal como dissemos no início do post, vamos aproveitar estes posts dedicados às freguesias para deixar aqui um tema dos hábitos comunitários das aldeias do Barroso, embora alguns já tivessem caído em desuso.

 

Assim, iniciamos hoje com o tema “ A Bênção do Gado”, que por sinal uma dessas cerimónias ocorre no santuário de São Salvador do Mundo, da freguesia que hoje aqui deixamos.

 

1600-bostofrio (205).jpg

Pastagens - Bostofrio

 

A Bênção do Gado

 

Sendo um dos elementos fundamentais para estas economias de montanha, não é por isso de admirar que o gado seja alvo de constante atenção e inúmeros desvelos por parte dos donos. A doença ou morte de um animal causa inúmeros constrangimentos e prejuízo aos agregados familiares. Dada a fragilidade dos ecossistemas locais e o grau de incerteza que rodeia a vida do agricultor, este recorre muitas vezes à protecção divina para que proteja o seu gado.

 

Neste contexto, é vulgar o recurso à bênção do gado, às oferendas ao Santo António, protector dos animais, e às promessas com o gado. Em Atilhó, no dia de Santo António, 13 de Junho, os agricultores levam o gado para o monte Galhado, onde está localizada a Capela de Santo António, para assistirem à missa, no fim da qual há a bênção do gado para o proteger e os livrar dos males. São inúmeras as aldeias em que, no final das celebrações dedicadas ao Santo António, se costuma fazer o leilão das oferendas dos fiéis, revertendo o dinheiro para o Santo.

 

1600-pinho (6).jpg

Senhor do Monte em Pinho

 

Em Pinho, celebra-se anualmente uma grande festa, no último fim-de-semana de Julho, em honra do Senhor do Monte, considerado o protector dos animais. Manda a tradição que, no sábado, dia reservado à bênção dos animais, os lavradores levem o gado até A Bênção do Gado ao Santuário e com ele façam três voltas à igreja. Muitos são os que percorrem longas distâncias, não só do concelho, mas também de concelhos vizinhos, outrora a pé, agora em carrinhas, para levarem os seus animais até ao santuário, em busca da protecção do Santo. Nesse dia, dizem os fiéis, apesar da grande concentração de animais nesse espaço, não se vê uma mosca no pinhal. As esmolas das promessas ou agradecimentos pela protecção ou benesse recebida costumavam ser dadas em centeio, mas agora costumam dar dinheiro.

 

1600-viveiros (302).jpg

S. Salvador de Viveiro

 

Mais conhecida ainda, é a romaria do Divino Salvador do Mundo, ou São Salvador do Mundo, em Viveiro (São Salvador de Viveiro), a que acorrem inúmeros fiéis para a bênção do gado, como descreveu Oliveira (1984:256/8)

 

“(…) O gado começou a afluir pelas 9 horas da manhã, e essa afluência atingiu o auge pelas 11 horas, formando então um anel quase ininterrupto (embora não denso) em volta do muro do adro, pelo lado exterior. Apenas três bois carregavam cereal à cabeça, amarrado entre os chifres; mais frequentemente este vinha em burros, ou às costas, à cabeça ou debaixo dos braços das pessoas, seguindo os bois atrás. Como dissemos geralmente dão nove voltas (novena), no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio; mas podem dar mais ou menos, conforme as promessas que fizeram.

 

1600-viveiros (83).jpg

Viveiro

Todo o gado trazia coleiras ao pescoço. Por vezes, as juntas iam jungidas para não fugirem nem saltarem. Algumas pessoas, quando passam com o gado em frente à porta sul do muro do adro (as voltas do gado São pelo lado exterior do muro que circunda o adro; a pessoa que conduz os bois vai à frente, ao lado ou atrás dos animais, conforme calha), fazem o sinal da cruz e esboçam uma genuflexão. Cumpridas as voltas da promessa, algum gado fica por ali, para a bênção; outro vai para os lameiros próximos. Também aparecem ovelhas, misturadas com os bois, a andar nas voltas.

 

Fora da capela, as promessa das pessoas (sem gado) consistem sobretudo em voltas a pé dentro do adro em torno da capela, muitas vezes com cereal em sacos à cabeça ou às costas, que depois irão despejar nas arcas que estão dentro da capela. Uma ou outra pessoa traz cravos ou outras flores. Em frente à porta, aberta, da capela, esboçam a genuflexão. Vê-se também uma ou outra dando voltas de joelhos. Por vezes, de cada volta a pé, põem uma pedra no cachorro que há na fachada, sob o alpendre, à esquerda.

 

Mais para dentro da capela, estão pousados no chão os sete andores, aguardando a procissão: Santa Quitéria, Santo Isidoro, São Bento, São Salvador do Mundo (nascente), Nossa Senhora, Santo Adrião e Nuno Álvares (poente); o andor de Nun’Álvares fica um pouco atrás dos outros, encostado ao arco do transepto. Santo Isidoro é o protector dos lavradores, e a imagem tem aos pés um touro; Santo Antão é dado como “abade protector dos animais”; São Bento é protector das doenças, e Nun’Álvares protector dos Portugueses. As pessoas que trazem cereal como promessa, depois das voltas (ou directamente, se não prometeram voltas) entram na capela e despejam os sacos nas arcas respectivas. Às vezes, antes de despejarem os sacos, vão rezar em frente do altar do Salvador, e então com frequência fazem-no com o saco do cereal à cabeça ou nos braços.” A descrição continua, destacando o cumprimento de promessas e os diversos procedimentos dos fiéis ao logo do dia, assim como descreve, ao pormenor, a procissão onde se faz a bênção dos animais que se espalhavam pelo outeiro, e a alocução aos lavradores que foi do teor seguinte:

 

1600-viveiros (3)-FREG.jpg

São Salvador do Mundo - Viveiro

“Atenção! Pede-se uns minutos de silêncio, porque vai seguir-se a bênção do gado. Interrompam as voltas, porque vai benzer-se o gado. Atenção! Antes de se principiar a bênção do gado, eu quero dirigir umas breves palavras aos lavradores da nossa região, aos lavradores e à boa gente transmontana, à boa gente de Barroso! Lavradores do Barroso! Já há muitos anos que tendes vindo aqui a este santuário, cumprir as vossas promessas. É grande a vossa fé, o vosso entusiasmo, para com o Divino Salvador do Mundo. Há gente que vem da raia de Espanha, de muito longe aqui a este santuário, cumprir as promessas porque o Divino Salvador do Mundo, nos momentos de perigo, cura os seus animais. Por isso, é com fé que vós viestes a este santuário, cumprir as vossas promessas. O Divino Salvador do Mundo abençoe os vossos gados, que o Divino Salvador do Mundo afaste para longe das vossas casas as pestes, que o Divino Salvador do Mundo interceda por vós, abençoe os vossos trabalhos, as vossas canseiras, os vossos campos, os vossos animais. Com fé, com amor, dizei ao Divino Salvador do Mundo o ‘muito obrigado’! Ele é o Senhor de tudo. Ele dá-nos tudo, é o nosso Pai, por isso confiai nele. Que o Divino Salvador do Mundo nos salve a todos. E que hoje, neste dia, conceda muitas graças e muitas bênçãos para todos vós, abençoe as vossas famílias, abençoe os vossos gados. São os votos do pároco desta freguesia. Agora vai seguir-se a bênção do gado”.

 

********************

 

Para terminar fica um aviso à navegação, a respeito da metodologia de publicação dos posts que passaremos a utilizar a partir de hoje, que embora continuemos a utilizar a ordem alfabética, a partir de hoje, será a ordem alfabética do nome da freguesia e não das aldeias. Assim, as próximas aldeias a abordar serão as da freguesia de Alturas do Barroso e Cerdedo, a saber: Alturas do Barroso; Atilhó; Casas da Serra; Cerdedo; Coimbró; Covelo do Monte; Vilarinho Seco e Virtelo. No final da abordagem de todas as aldeias, continuaremos a ter o post da freguesia, idêntico ao de hoje.

 

 

[i] Valor dos Censos de 2001

[ii] Valor dos Censos de 2001

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

15-anos

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Flavienses Ilustres

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    • Anónimo

      Souza é apelido de Arcossó? Seria de Pedro Souza q...

    • Anónimo

      Não é verdade que esteja extinta. Em Arcossó exist...

    • Anónimo

      Que bom ver esta foto! A minha avô morava numa das...

    • Julia Nunes Baptista

      Boa noite. Que bom reviver a Quinta da Condeixa em...

    • Anónimo

      Que lindo!! Muito emocionada em saber mais sobre a...

    FB