Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Pedra de Toque

07.07.18 | Fer.Ribeiro

pedra de toque copy.jpg

 

 

Até sempre!...

 

Não é costume, mas há dias que acordo azedo, zangado com a vida.

 

Não que ela me tenha sido madrasta, mas por vezes, se cruzam no meu caminho, pessoas que considero insuportáveis pela forma indigna com que circulam entre as gentes.

 

Fere-me, sobretudo, a petulância com que disfarçam a iliteracia, a ignorância.

 

Postam aqui (facebook) textos com erros crassos, debitando descaradamente opiniões sobre temas que desconhecem.

 

Para quem sabe deles há muito tempo e lhes conhece as curvas com que andam pela vida, sempre com o oportunismo e a ganância na ponta dos dedos, sem o mínimo da verticalidade exigida, o “espetáculo” que proporcionam entristece e é desolador.

 

 

 

Mas mesmo nos momentos mais tristes, acontece o inesperado que proporciona alento, laivos de felicidade.

 

Acaba de sair uma coletânea de poemas e textos do meu querido e saudoso amigo Eduardo Guerra Carneiro, amigo na infância, na juventude e na vida. Poeta brilhante e jornalista consagrado merece ser lido e ser lembrado.

 

Uma boa amiga conta-nos emocionada do carinho e da ternura que tem pela capelinha do seu bairro, da sua terra, da sua infância. Sensibilizei-me.

 

Soube que Portugal é um dos países europeus que no momento mais se destaca na luta, com sucesso, contra a sida.

 

 

 

Eu, enquanto me continuar a encantar com o teu sorriso e a tua boca me apetecer, retomarei forças para “enfrentar lá fora aquela gente que da nossa ternura anda sorrindo…”

 

 

Até sempre!...

 

António Roque