Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Cidade de Chaves - Rua Direita

10.01.17 | Fer.Ribeiro | comentar
Sábado passado, mais ou menos meio dia, 0º de temperatura. Já estamos habituados, dizem, e estamos, mas chega a doer, principalmente quando tem o nevoeiro por companhia, que era o caso, mas já passou, e quando o sol apareceu, até lhe achámos mais graça.  

Regressos - Madalena, Chaves

21.12.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Ao longo das nossas vidas há muita coisa que vamos esquecendo, mas os nossos tempos de criança e juventude, enfim a adolescência, essa, guardamo-la sempre num cantinho especial da memória.  Mas mesmo que bem guardada na memória e para todo o sempre e sem qualquer (...)

De regresso à cidade com adonos de Natal

12.12.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Depois dos repetitivos adornos de Natal dos últimos anos, este ano, sei lá porquê, mas imagino, lá se alteraram os motivos da iluminação elétrica de Natal, botaram uma grande árvore iluminada no Arrabalde e adornaram alguns edifícios públicos como o Palácio da (...)

Três olhares de Chaves com Névoa

29.11.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Já o disse aqui várias vezes que no sangue de um flaviense também corre um bocadinho de nevoeiro, daí, nunca resistir a tomar umas imagens onde ele também seja protagonista e se lhe pudermos juntar um pouquinho da magia das cores de outono, tanto melhor.  Foi assim (...)

Chaves D'Aurora

29.11.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 VEIGA. Na época dos Bernardes, a vida em Chaves era muito influenciada pelas condições ambientais, a localização entre montanhas íngremes, frias, escabrosas, ainda que envolvidas por uma vegetação verdejante, mas castigada pela neve, com o seu manto branco de

Dois momentos de outono

10.11.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 É outono e as neblinas,  no silêncio da noite, invadem a cidade. Primeiro instalam-se no rio, depois espraiam-se pela veiga e só quando toda a veiga é ocupada é que começam a invadir a cidade, pouco a pouco, até mergulhar num misterioso silêncio profundo de uma (...)

De regresso à cidade à beira-rio

29.12.14 | Fer.Ribeiro | comentar
 Estamos de regresso à cidade com um passeio à beira-rio, não porque o tempo convide mas porque os rios, neste caso o nosso Tâmega, sempre têm um poder de atração, não sei se pela água, pela sua serenidade ou pela sua liberdade. Pela sua teimosa liberdade de (...)