Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chá de Urze com Flores de Torga - 133

01.06.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Alturas do Barroso, 1 de Setembro de 1991 Incansavelmente atento às lições do povo, venho, sempre que posso, a este tecto do mundo português, admirar no adro da igreja, calcetado de lousas tumulares, o harmonioso convívio da vida com a morte. Os cemitérios actuais (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 132

25.05.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Tourém, Barroso, 2 de Setembro de 1990 LIMITE Pátria até que os meus pésSe magoem no chão.Até que o coraçãoBata descompassado.Até que eu não entendaA voz livre do ventoE o silêncio tolhidoDas penedias.Até que a minha sedeNão reconheça fontes.Até que seja outro

Chá de Urze com Flores de Torga - 131

18.05.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Carvalhelhos, 3 de Setembro de 1989 Horas e horas de correria por este Barroso a cabo, num Domingo de romarias, na mira de assistir a mais uma vez uma chega de toiros. Mas não fui feliz. Em todas as aldeias visitadas, o grande acontecimento tinha já acontecido. (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 130

11.05.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Serraquinhos, 14 de Setembro de 1975 O Barroso coberto de gado. Os mais diversos bichos a granel nos mesmos pastos, nos mesmos eidos, nos mesmos currais. Bois, ovelhas, cães, cabras, burros, porcos e galinhas no mesmo cordial convívio. E pus-me a pensar na fácil (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 129

04.05.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Boticas, 17 de Setembro de 1970 Um lauto e demorado jantar, a que assisti de talher praticamente cruzado, num enjoo renitente do estômago e do cérebro. Quanto mais a fome crónica de Portugal se farta, mais repugnância sinto pelos guisados. É que, sem almejar finuras (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 128

27.04.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Montalegre, 11 de Janeiro de 1970 Avisado por um amigo de que havia hoje cá na terra uma chega de toiros, meti-me a caminho debaixo dum temporal desfeito, e tanto teimei com a chuva, o vento e o granizo, que consegui chegar a horas de assistir ao combate. E valeu a (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 126

13.04.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Sarraquinhos, Barroso, 17 de Setembro de 1967 Parece que é lenda o célebre pedido que se atribui a Frei Bartolomeu dos Mártires no Concílio de Trento: a abolição do celibato ao menos para os padres de Barroso. Mas ela define um ambiente onde o natural pesa sobre (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 125

06.04.16 | Fer.Ribeiro | comentar
Paradela do Rio  Paradela do Rio, 1 de Julho de 1956 Estes tempos de barragens são uma verdadeira era nova do mundo. Qualquer dia, na escola, o mestre aponta o mapa e diz:- Antes do período albufeirozóico, aqui era Barroso.Miguel Torga, In Diário VIII Covas do Barroso C (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 124

30.03.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Alturas do Barroso, 27 de Junho de 1956 Entro nestas aldeias sagradas a tremer de vergonha. Não por mim, que venho cheio de boas intenções, mas por uma civilização de má-fé que nem ao menos lhe dá a simples proteção de as respeitar. Miguel Torga, In Diário VIII  Alt (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 123

23.03.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Carvalhelhos, 24 de Junho de 1956 Conhece-nos,  o sexo fraco! E tanto monta que a psicóloga seja uma requintada Madame de La Fayette, como qualquer parola de Trás-os-Montes. Esta tarde, em Vilar, povoação serrana que visitei para ver uma tábua bem bonita, porque (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 122

16.03.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Carvalhelhos, Barroso, 18 de Junho de 1956 Tarde de pesca, mas só a ver. Não sou homem de anzóis. Seja qual for o sonho que me apeteça prender, luto com eles de caras, sem isca. Entro nos matagais aos tiros, a avisar as perdizes que lá vai metralha. Agora que deve (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 121

09.03.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Negrões, Barroso, 28 de Maio de 1955 Por mais que tente, não consigo reduzir estas vidas de planalto a uma escala de valores comuns. Foge-me das duas mãos não sei que força incomensurável que, exactamente por ser assim, se alcandora nos olimpos possíveis do mundo. (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 120

02.03.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Chaves, 3 de Setembro de 1993 Hoje foi a minha vez de atravessar a fronteira sem cancelas de nenhuma ordem. Nem fiscais alfandegários, nem polícia a carimbar o passaporte. Apenas um painel de doze estrelas a mandar seguir. Mas nem por isso andei por Espanha dentro de (...)

Chá de Urze com Flores de Torga - 119

24.02.16 | Fer.Ribeiro | comentar
 Chaves, 28 de Agosto de 1993 A indiferença da natureza! Revejo lugares que há anos me são familiares e onde, num poema, numa frase ou num simples estremecimento emotivo, cuidei que qualquer cousa de mim permanecia e ficaria identificado. E em nenhum deles há (...)