Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Pedra de Toque

16.06.18 | Fer.Ribeiro | comentar
 ARTE JOVEM A pintura é o sortilégio da cor desenhada na tela. O pintor é o poeta do traço escrito pelo pincel, que bebe no tinteiro da paleta o arco-íris todinho. A escultura, o moldar de formas por mãos e cinzeis, produz o espetáculo do monumento e o escultor (...)

Pedra de Toque

09.06.18 | Fer.Ribeiro | comentar
 QUE PERMANECEM SEMPRE…                            Tenho escrito para ti que por vezes me lês, páginas sem fim.                        O sono (e o sonho?...) levam tudo, como o vento em tempos, algures, levou.      (...)

Pedra de Toque

21.04.18 | Fer.Ribeiro | comentar
  A bondade do silêncio Dou-me bem com o silêncio.Procuro-o a todo o instante.Quando o encontro falo com ele.Desabafo e ele ouve-me, “em silêncio”.Gosto de o ter comigo no cume das montanhas, nas margens de todos os rios, enquanto olho silenciosamente em meu redor.Hoj (...)

Pedra de Toque

03.03.18 | Fer.Ribeiro | comentar
 Da janela do meu quarto... É deveras difícil escrever, quando o escriva está inquieto, não está bem. As ideias fervilham e só vêm `tona, por norma, quando a noite acontece e a solidão impera. Logo que o dia clareia a concentração é impossível, e a ansiedade (...)

Pedra de Toque

03.02.18 | Fer.Ribeiro | comentar
 Os piquinhos do Brunheiro O inverno chuvoso e frio, com muita neblina que escurece os dias e uma maleita preocupante que ando a cuidar, tem contribuído para a tristeza me bater na disposição, virando-me, sobretudo, a concentração que preciso para dar à luz os meus (...)

Pedra de Toque

06.01.18 | Fer.Ribeiro | comentar
 O meio da noite Da noite das pessoas reconhecem o princípio e o fim que termina coma a manhã radiosa, o nascer do dia. Quando há meses criei o hábito de, “passar pelas brasas” ao fim da tarde, descobri o meio da noite, esse período mágico onde desaguo feliz, (...)

Pedra de Toque

19.11.17 | Fer.Ribeiro | comentar
 O meu céu…                         O meu céu está cinzento.                        A lua escondeu-se.                        As estrelas não cintilam.                        (...)

Pedra de Toque

29.09.17 | Fer.Ribeiro | comentar
 Está a chegar a hora!... De acordar para mudar!... A mediocridade já cansa, impõe-se a transparência, a honradez, a cultura, a competência. A suspeição apodrece as instituições. A história merece ser respeitada, bem como a memória dos íntegros, dos honrados (...)

Pedra de Toque

23.09.17 | Fer.Ribeiro | comentar
 Minha Senhora, minha.                         Há coisas que não entendo.                         Eu não entendo a doença que fere e pode matar gente.                         Eu não entendo a (...)

Pedra de Toque

29.07.17 | Fer.Ribeiro | comentar
 Dina, princesa negra                         As mulheres tratavam das pequenas leiras, com os filhos no dorso baloiçando.                        Envolviam-se em panos do Congo próximo, garridos, de belos desenhos, que as (...)

Pedra de Toque

27.05.17 | Fer.Ribeiro | comentar
 PARA JÁ ME BASTAM… Quando o desespero passa por mim, deixa-me marcas e eu, acolho meu corpo nas águas límpidas que regam as orquídeas e as rosas de Angola, flores de África que permanecem coladas aos meus olhos e ao meu cheiro. A inquietação mexe por dentro e (...)

Pedra de Toque

20.05.17 | Fer.Ribeiro | comentar
                         Dá-me a tua boca                         Escrever,                        É tantas vezes esquecer.                         Eu vou sofrendo, vou esquecendo           (...)

Pedra de Toque

01.04.17 | Fer.Ribeiro | comentar
 O AMOR É ASSIM!...                    Desce a montanha, solta o cabelo,                   Não pises os jasmins que te aparecerem no caminho,                   E vem ter comigo.                   Eu (...)

Pedra de Toque

25.03.17 | Fer.Ribeiro | comentar
 VI-TE, UM DIA… Na tua tez só o sorriso que esboçavas, irradiava. Estavas sentada num banco de um jardim desflorido, poeirento e permanecias inerte às pessoas raríssimas que passavam junto a ti. Gostei dos teus cabelos lisos, despenteados (uma preferência muito (...)