Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

20
Fev24

Cidade de Chaves - Malha Medieval

Praça de Camões


1-1024-postais-sao015.jpg

 

Ramatamos hoje esta pequena rubrica dedicada às artérias da malha medieval da cidade de Chaves, que uma a uma, foram passando por aqui ao longo das últimas semanas, e rematamos com aquela que era denominada como Praça Principal, precisamente por ser a principal praça da malha medieval, onde se concentravam e ainda concentram o poder político e o religioso, nomeadamente com o castelo e respetivos paços, numa época mais antiga e com a Câmara Municipal numa época mais recente até aos nossos dias, a par da Igreja Matriz, ou melhor, Câmara Municipal e Igraja Matriz frente a frente.

 

Um post que hoje, por ser terça-feira em que costumamos dedicar o dia a Chaves antiga, fica com imagens em dois momentos, um precisamente com um conjunto de imagens de Chaves antiga e um outro momento da Praça de Camões, o topónimo atual desta praça, com Chaves atual, ou mais recente, e sem mais palavras, pois os momentos em imagem mostram tudo, ou quase tudo que há a mostrar desta praça, que continua a ser uma das praças principais da cidade e a mais monumental com muita História e também estórias para contar.

 

1-1024-5-ca (452) carolina.jpg

1-1024-6-1-ca (672).jpg

1-1024-8-Largo da Camara.jpg

1-1024-ca (445) carolina.jpg


As imagens ficam sem qualquer critério na sua ordem, mas mais ou menos por ordem cronológica. Para trás ficam alguns momentos da praça antiga e a parti de aqui a praça atual.

 

1-1600-(51018).jpg

1-1600-9236.jpg

1-1600-(52995).jpg

1-1600-(53525).jpg

1-1600(58036).jpg

 

Como de costume fica também a carta da malha medieval com a localização desta praça.

 

1600-camões-malha-medieval.jpg

 

E é tudo por hoje, amanhã estamos de regresso à normalidade do blog, com outros temas de Chaves atual, e já a sair da malha medieval, ou não, pois vamos continuar a privilegiar o Centro Histórico da Cidade de Chaves.

 

Até amanhã!

 

 


08
Fev21

De regresso à cidade...

Cidade de Chaves


1600-(39870)

 

Hoje regressamos à cidade ainda sem saber bem por onde o vamos fazer, de uma coisa temos quase a certeza, vai ser com chuva.

 

1600-(39317)

 

Talvez passemos também pela praça do duque para ver se está tudo no sítio.

 

1600-(39711)

 

Por último , um perspetiva da rua do Tabolado, pois penso que ainda nunca regressámos por ela à cidade e poucos registos temos dela, tudo porque é uma rua complicada para fotografar, pelo menos nas horas em que costumamos passar por lá ainda por cima está sempre repleta de popós estacionados. Mas às vezes lá calha apanhá-la quase sem nada.

 

E é tudo, uma boa semana e cuidado com o bicho!

 

22
Dez20

Chaves de Ontem - Chaves de Hoje

A Praça do Duque


0-11-1974-1-.jpg

ontem-hoje

 

Neste Chaves de ontem Chaves de hoje vamos até àquela que foi “impropriamente alterada para Praça de Camões”[i] e fazer uma bocadinho da sua história com as imagens possíveis, deixando-as aqui pela sua ordem cronológica, tendo-nos baseado para definir essa ordem nalgumas referências que essas imagens possuem e que foram aparecendo ou desaparecendo conforme o passar do tempo. Pois então temos nestas imagens de hoje várias referências, que são autênticos documentos temporais, a saber:

 

1ª – O desenho da praça

2ª – O edifício da atual Câmara Municipal de Chaves  

3ª – O edifício do atual Museu da Região Flaviense

4ª – O Casario da Praça

 

1600-imagem 1.jpg

Imagem 1

Imagem  1 - Para nós a mais antiga das que hoje aqui deixamos e que nos datamos como sendo anterior a 1909, em que nos aparece-nos com uma praça ampla, não pavimentada, com duas linhas de árvores e um único poste de iluminação, o edifício da Câmara Municipal com porta principal em madeira e sem relógio, e o edifício do lado esquerdo encostado à capela da Stª Cabeça ainda alinhado com a capela.

 

1660-imagem 2--marco-2009.jpg

Imagem 2

 

Imagem 2 – Estive tentado a dizer que esta segunda imagem era a mais antiga, que, sem qualquer dúvida é do ano de 1909, por se tratar de uma imagem das comemorações do 1º Centenário da Guerra Peninsular que se celebraram nesse ano. A imagem é em tudo idêntica à anterior, a não ser as duas linhas de árvores que já não existem, as mesma que me levaram a datar esta imagem como a 2ª na nossa cronologia.

 

1600-3-guia-album.jpg

Imagem 3

 

Imagem 3 – Uma imagem que podemos localizar entre o ano de 1911 e 1914 por duas referências que a imagem nos dá, uma a do Pelourinho já aparecer nesta imagem, pelourinho esse que foi proposto aí ser colocado pelo vereador Padre Cerimónias, conforme consta em ata da CMC de 27-10-1910 – “O Vereador Padre Serimónias propõe e a Câmara aprova, “Que sejam restaurados os cruzeiro e pelourinho d’esta villa e posto nos locaes que dantes ocupavam – largo de Camões e do Anjo respectivamente””, que em princípio, logo nesse ano ter-se-ia iniciado a colocação do pelourinho, pois em ata da CMC de 16-2-1911 refere-se – “por promoção do Sr. Administrador do Concelho foi deliberado mandar concluir a reconstrução do Pelourinho no Largo de Camões, desta Vila”. E outra deliberação ou decisão da CMC teria havido, pois o Pelourinho foi erguido na Praça de Camões e não no Largo do Anjo, conforme proposta do Padre Cerimónias. Quando ao cruzeiro, nada se sabe, embora num documento da Direção-Geral dos Edifício e Monumentos Nacionais se diga que para a base do Pelourinho se foram buscar elementos de um antigo cruzeiro que existia à entrada do caminho da Dapela do Pópulo.. A outra referência que nos faz localizar esta imagem antes do ano de 1914 tem a ver com o relógio do edifício da Câmara Municipal, que ainda não aparece nesta imagem.

 

1600-img 4-guia-album.jpg

Imagem 4

 

Imagem 4 – Imagem muito semelhante à anterior e que nós datamos do ano de 1915 e podendo argumentar para tal que o relógio só foi montado no primeiro semestre deste ano, isto porque em meados de dezembro de 1914, embora pronto o relógio ainda não estava em Chaves, pois o fabricante ´”Morez do Jura” em meados desse mês informa que o relógio já está pronto, porém que havia impossibilidade do seu envio, em virtude da supressão de transportes em caminho de ferro para o estrangeiro, por grandes rumores da guerra entre a Alemanha e França. Contudo em 3-6-1915 já havia relógio no telhado da Câmara, pois numa ata da CMC desse dia decide-se efetuar pagamento de 14$28 (que na moeda de hoje seriam 7 cêntimos)  a Vitorino Pereira Vidago, de Chaves, para reparação do telhado dos Paços do Concelho, causados pela montagem do relógio. Outra referência para esta imagem ser de 1915 é o facto da mesma ter sido publicada no Guia-Album de Chaves que foi também publicado nesse mesmo ano. A título de curiosidade, este relógio só durou até 1921, ano em que foi adquirido um novo relógio para substituição do existente, que foi vendido em hasta pública, tendo sido fixado em 600$00 a base para a sua licitação.

 

1600- img 5-ca (452) carolina.jpg

Imagem 5

 

Imagem 5

Esta imagem diz-nos que já tem relógio na Câmara Municipal, que já não tem pelourinho que as árvores já estão entre lancis que definem arruamentos e passeios, ainda não pavimentados, que a porta da CMC ainda é em madeira, que o edifico do atual museu tem dois pisos, mas o 2º é recuado e que o velho olmo ainda existia, ora dá-nos duas indicações preciosas para a sua datação, a primeira o pelourinho e a segunda a porta de madeira da CMC, pois sabemos que o Pelourinho só morou 8 anos na Praça de Camões, tendo a Câmara mandado apeá-lo em 1919, quanto à porta de madeira, essa durou até 1938.

 

portão de ferro.JPG

Portão da entrada da CMC

 

Portão de Ferro da entrada principal da CMC

O portão começou a ser executado em 1938 por solicitação do então engenheiro da Câmara, o Engº Sá Fernandes. Demorou 2 anos a ser executado, e custou 5.000$00, importância que foi paga às prestações. As peças do portão foram cravadas, medronhadas e limadas, tudo trabalho manual que, simplificando, e após a obtenção das várias peças, consistia em fura-las com uma manivela, nos quais eram introduzidos cravos e posteriormente limados, peça a peça até se chegar ao portão final. Depois de pronto na oficina, foi contratada a diligência do correio do Porto para fazer o transporte até à Câmara Municipal, ao que parece era o único veículo com capacidade para o poder transportar.

 

1600- imag-6-1.JPG

Imagem 6

1600- img 6-cmc.jpg

Imagem 6-1

 

Imagem 6  e 6-1

Ora pelo portão de ferro da Câmara Municipal esta imagem é posterior a 1938 mas pelo edifício dos Paços do Duque de Bragança (atual museu) podemos seguir até 1940, ano em que foi construído o 3 piso deste edifício e pouco mais dados temos, assim ficamo-nos poe esta imagem ser posterior a 1940.

 

1600- img 7-1952.jpg

Imagem 7

 

Imagem 7

Sem muito a dizer em relação a esta imagem, pois é muito idêntica às anteriores, apenas que chegou até nós datada com o ano de 1952.

 

1600- img 8-1.jpg

Imagem 8

1600- img.10.jpg

Imagem 9

1600-img 9-camoes.jpg

Imagem 10

 

Imagem 8, 9 e 10

Imagens posteriores a 1962, não só pelos modelos dos carros mas também porque pelo edifício dos Paços do Duque de Bragança, já e só com dois pisos, estando as obras de apeamento do 3 piso datadas precisamente de 1962. Sabemos também que foi assim que a praça se manteve até 1970, anos em que se iniciaram as obras que deram origem à praça atual.

 

11-10-ca (356).jpg

Imagem 11

12-10-cmc.jpg

Imagem 12

13-10-Quartel-Museu-1970-o.jpg

Imagem 13

14-Quartel-Museu-1970-o-1.jpg

Imagem 14

Imagem 11, 12 13 14

Imagens de 1970

 

1600-(48800)-2018.jpg

Imagem 15

1600-(49702)-2018.jpg

Imagem 16

 

Imagem 15 e 16

Imagens atuais, ou quase, pois ambas são de 2018. 

 

 

 E para voltemos ao início deste post, onde deixo a afirmação de Firmino Aires, ao qual desde já agradeço mesmo que a título póstumo pelas obras que deixou publicadas sobre a cidade de Chaves onde hoje fui beber alguma informação, nomeadamente à Toponímia Flaviense e às Incursões Autárquicas, mas ia dizendo, que no início deixei a afirmação de Firmino Aires que agora completo, pois dizia mais, aqui fica o resto: “è deveras interessante a penúltima designação que teve esta praça — O PRINCIPAL ou da GUARDA PRINCIPAL./Sendo nesta praça onde mais se condensam os valores históricos de Chaves, quer pelo seu tamanho quer pela sua dignidade, deveria continuar a chamar-se a Praça Principal ou da Guarda Principal./Tal como em Sevilha tem a magnífica Praça de Espanha ou Salamanca a Praça Maior, também esta cidade tem a sua praça, que sendo a Principal foi impropriamente alterada para Praça de Camões. Outra praça deveria ser dedicada ao nosso Príncipe dos Poetas.”.

1600-(50612-17)-jul-2019.jpg

Composição - Vista geral de toda a praça, de 2019

 

Pois subscrevo quase tudo que Firmino Aires disse, mas não concordo com ele em retomar o nome de Praça Principal, que talvez ele tivesse defendido pelo seu passado como militar, pois eu, com os mesmo argumentos iria mais longe, não até ao primeiro nome conhecido desta praça que era o de “Toural das Ollas”, mas sim a tomar o nome daquele que mais foi mais nobre e em tudo tem a ver com ela, desde o Castelo aos Paços do Duque de Bragança, que tem, e muito bem, estátua nesta praça, que nela viveu, teve os seus filhos e nela foi sepultado (Igreja Matriz). Praça de D. Afonso I, Duque de Bragança, era esse o nome que esta praça deveria ter. É a minha opinião. Quanto ao Camões, bem poderia substituir o nome do Silveira, nas Freiras,  e assim ficava junto à Biblioteca e ao Liceu, casas ligadas aos livros e às letras.

 

[i] In Toponímia Flaviense de autoria de Firmino Aires, 1990

 

 

 

 

Sobre mim

foto do autor

320-meokanal 895607.jpg

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

19-anos(34848)-1600

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Flavienses Ilustres

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    FB