Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

25
Fev19

De regresso à cidade...

1600-(48738)

 

De regresso à cidade, mas antes de atrevassarmos a ponte, fizemosuma passagem à beira Rio Tãmega, com a sempre nossa Top Model Ponte Romana por companhia.

 

1600-(48739)

 

Hoje fazemos o regresso à cidade com dois olhares, tomados precisamente do mesmo local mas em direções diferentes, mas ambos tendo de fundo obras de arte, uma bem Histórica e antiga, a outra bem contemporânea e bem recente - O Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso, cujo projeto é do mais que consagrado Arquiteto Siza Vieira e no seu interior a arte contemporânea, com três exposições e cinco artistas: Ema Berta (pintura), Cristina Valadas (pintura), João Ribeiro (pintura), Carlos Barreira (escultura) e Nadir Afonso (pintura), sendo os últimos dois flavienses.

 

 

04
Fev19

De regresso à cidade...

1600-(45848)

 

Hoje, para variar um pouco, fazemos o regresso pela ponte nova. Eu sei que o nome dela é Barbosa Carmona, mas nós por cá sempre lhe chamámos e vamos continuando a chamar ponte nova, embora agora cause alguma confusão, sobretudo aos mais novos, e com alguma razão, pois depois desta, Chaves já viu construir mais três pontes. Seja como for, é ponte e é por ela que hoje fazemos o regresso à cidade, ainda de noite. Deu-nos para madrugar…

 

Uma boa semana para todos.  

 

23
Jan19

Cidade de Chaves - Um passeio à beira rio

1600-aves-tamega-18(243)

 

Desde miúdo que tenho um certo fascínio pela água, ou melhor, pelos riachos, pelos ribeiros ou rigueiros como nós lhe chamávamos, e pelos rios, não muito grandes, assim como o nosso Rio Tâmega na passagem por Chaves, talvez seja esse o tamanho ideal que cabe na perfeição do fascínio que tenho por eles, rios em que podemos caminhar dentro deles, nadar neles se nos apetecer ou simplesmente ficar neles parado, de pé com a cabeça de fora, ou apenas na sua margem sem nos sentirmos ameaçados pela sua grandeza. Claro que na origem deste fascínio pelos cursos de água, tenho, inevitavelmente, de regressar ao tempo em que desfrutava deles, e faço com frequência estas viagens no tempo sem qualquer saudosismo, antes, isso sim, faço-as agradavelmente, sem penas, num reviver de memórias da fase das descobertas e aprendizagem.

 

1600-aves-tamega-18(240)

 

Assim, mais quando posso do que quando quero, vou ainda pelas margens do rio comigo próprio, ou seja,  sozinho, sem distrações, ainda na ânsia da descoberta e da aprendizagem, principalmente daquilo que aos rios sempre está adjacente, como a fauna e a flora que com eles convivem ou deles vivem, dando-me sempre conta de que algumas coisas fui aprendendo, mas que uma imensidão de coisas ficaram e ficarão por aprender.

 

1600-aves-tamega-18(339)

 

Mas continuo a desfrutar desses passeios, e já fico contente em seduzir um melro para que pose para a fotografia, que não haja muito vento para poder registar as sementes e frutos que pendem das árvores ou descobrir novas espécies de aves e outra bicharada que agora aqui vêm passar os outonos e invernos ou primaveras e verões, espécies que nunca noutros tempos eu houvera visto.  

 

1600-aves-tamega-18 (216)

 

E continua a ser um regalo colher das árvores os frutos maduros, partilhando alguns para quem deles precisa para sobreviver, enquanto se vai apreciando a hierarquia da passarada e outros animais, pelo tamanho ou pela astúcia, primeiro o pardal, que cede o lugar ao melro, que por sua vez o cede à pega e que todos fogem quando o gato aparece, que por sua vez, se esquiva ao aproximar do cão, tudo isto connosco a uns metros de distância, proximidade permitida porque não somos ameaça, já nos conhecem e sabem que não interferimos na história ou disputa, eles sabem sempre quando assim é.

 

1600-aves-tamega-18 (198)

 

E podem crer que estes momentos com este mundo que a natureza nos oferece, a sós ou acompanhados se tivermos gosto nisso,  valem mais que qualquer terapia, são um tónico que tomado em doses certas contribui para uma vida muito melhor, pelo menos a mim, faz-me bem.

 

1600-aves-tamega-18(353)

 

E com esta me bou, em modos de poesia, com as palavras (um verso apenas) de Eugénio de Andrade:

Boa Noite. Eu vou com as aves.

 

08
Jan19

Momentos do Tabolado (Uma Espécie de Canção)

1600-(50062)

 

 

Acompanhe-se a leitura do texto e imagem com a música de Pedro Abrunhosa, da canção “ Momento (Uma Espécie de Céu)".

 

 

Momentos do Tabolado (Uma Espécie de Canção)

 

Um cão que se vai

Um homem que vem

A folha que cai

À beira do rio

O chapéu que sustém

Na cabeça com frio

Cachecol ao pescoço

A olhar para o lado

Num andar de moço

O Tâmega segue o seu fado

Num passear discreto

A rapariga debita

Sentimentos com os dedos

Quiçá de um amor secreto

Que nela habita

Ou serão outros enredos

Mais uma árvore despida

Dois bancos que esperam alguém

Com o azul do céu ainda acordado

A caminho da despedida

Com um sol já do dia cansado

E umas escadas que não sobem ninguém

Mais ao lado dois corações

Se as crianças atinarem no feitio

Em vez de dois serão três

E a mãe a fotografar as emoções

Da inocência a caminhar para o Estio

E assim foi um momento, uma vez

Ao fim da tarde, no Tabolado

De um domingo qualquer

Onde entram um Homem e um cão

Uma rapariga, duas crianças e uma mulher

Onde nem sequer falta o amor amarrado

Num cadeado e um

E com esta me bou

Tal como o cão, logo no início se foi

Nesta espécie de poema ou canção

Ou…

 

Até amanhã!

 

Mas antes, fiquem com o “Momento” de Pedro Abrunhosa

 

 

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

Olhares de sempre

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    • Fer.Ribeiro

      Há certas coisas que não se podem dizer nos posts,...

    • Fer.Ribeiro

      Obrigado pelo seu comentário. Quanto ao tapume, co...

    • Anónimo

      Parabéns pelo magnífico trabalho apresentado. No q...

    • FJR

      Conheço bem esta Rua pois o "velho Ceroulas" tinha...

    • FJR

      Eu tenho muitas saudades, Felizes aqueles que pode...