Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

07
Abr19

O Barroso aqui tão perto - Viva a neve!

1600-larouco (355)

Serra do Larouco

montalegre (549)

 

O mau tempo para este fim de semana estava anunciado para todo o país, alerta laranja aqui para os nossos lados, frio, muita chuva, vento e neve acima dos 800 metros de altitude, ou seja, para nós que “estamos habituados”, são dias normais de Inverno, pois já sabemos que por cá só há duas estações no ano, os tais 9 meses de Inverno e os 3 de Inferno (julho, agosto e setembro). Não quer isto dizer que temos todos os dias chuva, neve e tempestades, não senhor, mas acontece com frequência e nos dias em que não acontece até vai havendo sol mas o frio, esse, não aquece ao sol…

 

1600-montalegre (1720)

Montalegre - Pormenor do Castelo

1600-larouco (339)

Serra do Larouco vista desde Soutelinho da Raia

Pois devido ao mau tempo, à última hora, tive um compromisso cancelado o que me deixava a tarde livre. Como ainda não tinha saído de casa, abri um bocadinho a porta de saída para a rua, espreitei e deitei o nariz de fora, não para cheirar, mas antes para sentir o ar para saber como íamos de tempo (meteorológico).  O ar era de neve. Subi ao andar de cima e espreitei para o Brunheiro, estava limpo de neve, fui espreitar para Norte e a ponta da Cota de Mairos estava com neve, mas não o suficiente para chegar aqui ao vale o seu ar, para Sul não valia a pena espreitar, pois aí só há neve quando ela chega até ao vale de Chaves, só podia ser a Poente, ou seja, no Barroso, e lá estava ela a cobrir o Leiranco e um bocadinho ao lado, via-se a serra de Castelões também com neve, ou seja, pelo menos o Larouco e terras altas até Montalegre a neve era garantida.

 

1600-larouco (335)

Serra do Larouco

 

Há uns anos atrás, agarrava nos putos e dizia-lhes – Vamos ver a neve! Com os putos já crescidos e temporariamente fora de casa a estudar, agarrei nas máquinas fotográficas e disse-lhes na mesma — Vamos ver a neve! E lá fomos, felizes e contentes como se fosse a primeira vez…

 

1600-larouco (377)

Serra do Larouco

1600-montalegre (1790)

Montalegre - Rotunda da Corujeira

 

Claro que poderia inventar uma desculpa qualquer, mais séria e científica, como a de ir observar e registar se com esta coisa do aquecimento global a neve mantinha o seu grau reduzido de temperatura, se a sua brancura se mantinha, se continua sem ter sabor, etc. Mas não, a verdade é que eu sou mesmo um puto que gosta de ir para a neve, e prontos!

 

1600-montalegre (1752)

Vista geral de Montalegre (Vila)

1600-donoes (100)

Rio Cávado e Moinho - Donões

 

E havia neve, e nevou pelo caminho, e fez sol, e choveu, e nevou novamente, e de novo fez sol, sempre de pouca dura, uns minutos, apenas pequenas abertas, mas lá fomos indo, não era um daqueles nevões-nevões, mas havia neve, com a estrada limpa. Primeira paragem no sítio do costume de contemplação da Serra do Larouco. Segunda paragem no Miradouro Corujeira, pois das várias vezes que fui por Montalegre à neve, nunca tinha conseguido ir à Corujeira, mas desta vez cheguei lá. É um cliché dos dias de neve em Montalegre, faltava-me para a coleção. Outro cliché é o do moinho de Donões, ali sobre o Cávado com o Castelo de Montalegre de fundo, também ainda não o tinha com neve, que embora pouca (terras mais baixas) ainda havia uma amostra.

 

1600-montalegre (1680)

Vista geral de Montalegre (Portela)

Depois havia que fazer os outros clichés, o Larouco, Padornelos, ir ao lado à aldeia mais alta de Portugal (Sendim), etc. Eu fui a todos, ou quase, pelo menos até onde pude, pois no Larouco, mais uma vez fui enganado, embora lá tivesse ido, com a estrada limpinha, muitos pais a brincar (ainda naquela fase dos filhos putos), carros parados aqui e ali para fotos do pessoal na neve, incluindo selfies, etc., e eu lá ia galgando estrada até chegar ao cimo do Larouco e de repente, a seguir a uma curva, ZAZ! a estrada desapareceu, andaria ali pelo meio do Larouco, impossível continuar, mesmo para um tt.  

 

1600-larouco (370)

Serra do Larouco (o fim da estrada...)

 

Não me voltam a enganar… pois a solução num caso destes é mesmo só uma, meter o rabinho entre as pernas e voltar para trás desiludido…Mas já que andava por lá,  entrei na aldeia de Padornelos, fiz o mesmo em Sendim e ainda deu tempo para entrar na Galiza só para dizer que entrei, pois dei logo a volta, tomei um cafezinho nas bombas de gasolina da fronteira e comprei umas garrafas de vinho verde branco e, ala para Chaves que se faz tarde.

 

1600-padornelos ( (368)

Padornelos

1600-padornelos ( (353)

Padornelos

E tudo teria corrido bem se não fosse um palerma com umas 4 lata velhas todas Kitadas que ia dois carros à minha frente e que ao entrar no concelho de Chaves resolveu fazer todo o trajeto ao esses a desvia-se de todas as protuberâncias e pequenas depressões que a estrada tinha, sempre a 30 ou 40 km/h, primeiro ainda pensei que também tinha ido ao vinho nas bombas de gasolina, mas depois apercebi-me que era mesmo uma paixão assolapada pelas suas 4 latas kitadas. Pelo menos foi uma forma, embora obrigatória, de vir de vagar. Quando chegámos a Chaves, parecia uma procissão de carros a vir da neve, mas curiosamente ninguém tentou ultrapassar nem protestar, eu penso mesmo que o pessoal de trás estava a pensar que o mariola da frente ia com os copos!

 

1600-sendim (218)

Sendim - a aldeia mais alta de Portugal

E terminamos com uma imagem da aldeia mais alta de Portugal – Sendim. Hoje, calhou assim, em vez de uma aldeia trouxemos neve, fresquinha, de ontem à tarde, mas tivemos ainda tempo de ir a Padornelos, a Sendim e ao moinho de Donões, três aldeias que já aqui tiveram o seu devido post mas que, se quiserem rever, basta procurar na barra lateral do blog, estão lá todas as que por aqui passaram, por ordem alfabética.

 

E é tudo. Até amanhã!

 

 

 

03
Fev19

O Barroso aqui tão perto - Serra do Larouco

1600-larouco (280)-desd-leiranco

montalegre (549)

 

A pergunta de hoje era: Há neve no Larouco?

 

Pois pelo ar frio, tudo indicava que sim, e parece que havia mesmo. Parece, pois não fomos lá, nem sequer fomos espreitar a um alto para ver se a pontinha do Larouco estava pintada de branco, ou então subir mais um pouco, até Soutelinho da Raia ou até à Serra do Leirando para ver se a pintura descia até ao planalto.

 

Fica uma imagem desde a Serra do Leiranco, com a aldeia de Arcos em primeiro plano, mas não se iludam com a foto, pois a neve que se vê já há muito derreteu. Acontece que a foto é de arquivo, do ano passado, mais propriamente do dia 12 de janeiro de 2018. Já agora a imagem que serve de cabeçalho a esta rubrica, foi tomada desde Soutelinho da Raia, e esta já e velhota, não verifiquei, mas sei que tem mais de 15 anos.

 

 

02
Set18

O Barroso aqui tão perto - Montes, Montanhas e Serras

1600-larouco (93)

 

Mais um sábado que passei pelo Barroso de Montalegre para amarrar umas pontas soltas do nosso levantamento fotográfico sobre as aldeias e outros lugares, com muitas paragens para registos que iam surgindo pelo caminho, como um arranque de batatas em Medeiros, um ângulo diferente sobre a ponte de Vila da Ponte, as inevitáveis e agradáveis conversas que vamos provocando com os residentes resistentes.

 

1600-entre cabril e (19)

 

Um sábado em cheio onde não faltaram as subidas às croas dos montes, montanhas e serras do Barroso, com muito calor, mesmo lá em cima onde a temperatura apenas descia uns míseros 2 ou 3º. Um almoço como os que costumam ser os almoços do Barroso, todos os ingredientes para chegarmos a casa de rastos com o corpinho a pedir, pelo menos, um pouco de sofá e a frescura das casas.

 

1600-larouco (101)

 

Quero com isto dizer que com estas andanças pelo Barroso, depois ficamos sem tempo para preparámos mais uma aldeia para deixar aqui no “Barroso aqui tão perto”, mas o espaço existe e alguma coisa tínhamos que deixar por aqui, e nestes casos temos de facilitar a tarefa e preparar algo mais genérico. Porquê não os montes, montanhas e serras de onde todo o Barroso se avista e todas as montanhas e serras se dão a conhecer. Pois são essas as imagens de hoje, imagens do nosso reino maravilhoso.  

 

1600-desde-serrra-barroso (1)

 

E quando se fala em Reino Maravilho temos que evocar Torga. Fui, dentro do blog, à procura de Torga e do Reino Maravilhoso e encontrei por lá isto que não resisto a transcrever:

 

1600-cela (147)

 

“Chegado a casa, abriu-me o apetite para reler o “Reino Maravilhoso” de Torga, o mesmo de que tantas vezes se fala e se faz a citação das primeiras palavras do texto… “Vou falar-vos de um reino maravilhoso (…) fica no cimo de Portugal, como os ninhos ficam no cimo das árvores (…)  Vê-se primeiro um mar de pedras (…)— Para cá do Marão, mandam os que cá estão!... “ e nunca aparece o texto por inteiro, e é pena, pois todo ele é um poema que nos deixa nus perante a nossa identidade transmontana, o nosso ser, um retrato fiel daquilo que somos e que todo o transmontano tem obrigação de conhecer.”

                                         In https://chaves.blogs.sapo.pt/564005.html onde está transcrito o texto integral de “O Reino Maravilhoso” de Miguel Torga – Se é transmontano é de leitura obrigatória, se não o é,  também o deve ler para ficar a saber quem somos

 

1600-desde-serra-barroso (22)

 

Quanto às imagens de hoje são de uma das pérolas desse “Reino Maravilhoso”, esta dá pelo nome de Barroso, com as suas serras e montanhas, com vistas que são vistas desde os seus pontos mais altos e desde onde as três principais serras do Barroso se avistam umas às outras, sendo que duas fazem um dos limites do Barroso (Serra do Larouco e Serra do Gerês) e a outra, está bem no coração do Barroso e dá pelo nome, como não poderia deixar de ser, de Serra do Barroso, todas acima dos mil metros de altitude.

 

1600-7 lagoas (212)

 

Pois são estas as nossas imagens de hoje, um pouco misturadas, mas todas elas tomadas desde a Serra do Larouco, desde a Serra do Barroso ou desde a Serra do Gerês, onde algumas são tomadas dentro delas para elas próprias, como acontece no caso da Serra do Gerês em alguns locais onde nada mais se vê para além do céu e da própria serra.

 

1600-desde-serra-barroso (25)

 

E para a semana, próximo domingo, cá estaremos de regresso a mais uma aldeia do Barroso de Montalegre, nesta rubrica de “O Barroso aqui tão perto” quando levamos já mais 100 postagens dedicadas ao Barroso, aos seus lugares e aldeias ou temas do Barroso, e se pensam que isto terminará um dia, desenganem-se, pois o Barroso tem, de interesse, lugares, temas e motivos para toda uma vida.

 

 

04
Jun17

Barroso e Larouco

1600-arcos (178)

Hoje ainda vamos ter por aqui a habitual rubrica dos domingos de “O Barroso aqui tão perto” com mais uma aldeia do Barroso de Montalegre.  As imagens já foram selecionadas, mas ainda falta o texto, assim, só lá para o final da noite é que aqui estará, mas não só, pois hoje também temos uma missão a cumprir em terras barrosãs. Para já fica mais uma imagem do Barroso tendo de fundo a Serra do Larouco, imagem captada desde a aldeia que hoje teremos aqui.

 

Até logo.

 

 

21
Ago16

O Barroso aqui tão perto... Olhando para e desde o Larouco

1600-larouco (72)

montalegre (549)

 

Como vem sendo hábito aos domingos temos por aqui o Barroso, geralmente com uma das suas aldeias, mas nem sempre o nosso tempo disponível dá para prepararmos um post sobre uma aldeia e temos de lançar mão a outras ofertas do Barroso.

 

1600-montalegre (550)

 

A água, as montanhas, as paisagens, a flora e por aí fora, a oferta é variada e assim não nos é difícil arranjarmos uma alternativa a uma aldeia, que pela certa estará aqui no próximo domingo.

 

1600-barroso (41)

 

Desta vez optamos por três imagens entre Soutelinho da Raia e a Serra do Larouco, com olhares lançados para e desde o Larouco. Imagens de arquivo, por isso não estranhem em ver o Larouco com neve.

 

 

15
Jul10

Elite de Pilotos de Parapente na Serra do Larouco (Montalegre) de 15 a 18 de Julho

 

.

 


Ora aí está um evento a não perder por todos os amantes do parapente, quer para os que gostam de voar lá em cima, quer para os que cá de baixo (como eu) gostam de os ver voar.

 

São 4 dias de competição marcados para o Larouco e céus do Barroso mas também com possíveis largadas desde a Serra do Brunheiro para os céus de Chaves. O tempo e os ventos é que ditarão os melhores céus.


A WIND, Escolas de Parapente - Portugal, em conjunto com o Clube Papaventos,  traz mais de 70 pilotos de parapente a Montalegre.

De 15 a 18 de Julho a elite nacional de pilotos de parapente vai disputar a penúltima prova do Campeonato nacional da modalidade no cenário idílico da Serra do Larouco, de cujas escarpas partirão os atletas inscritos, entre os quais se encontram o Campeão Nacional (Cláudio Virgílio), a Campeã Nacional (Sílvia Ventura), o nº1 do Ranking Nacional (Nuno Virgílio) e o Recordista Nacional de distância livre (Pedro Moreira) desta modalidade que desafia os homens pela audácia dos campeões e reproduz a elegância dos falcões.


Esta prova, creditada pela Federação Portuguesa do Voo Livre e apoiada pela Câmara Municipal de Montalegre, conta para o campeonato nacional e para o ranking nacional e ainda, como prova da categoria FAI2, para o ranking mundial e proporcionará momentos de ímpar beleza enquadrados numa renhida competitividade desportiva.

 

.

Foto de Arquivo (temos pena, mas agora está sem neve)

.


Este evento desportivo contará ainda como Pré-Taça do Mundo, numa  candidatura de Portugal (Montalegre) à organização da Taça do Mundo de Parapente no próximo ano, demonstrando que Portugal conseguirá e merecerá organizar este evento maior do Parapente Mundial.


Durante os 4 dias de competição haverá um programa de lazer desenhado para cativar iniciados e público interessado para a prática do Parapente, mostrando que é um desporto atraente, seguro e não excessivamente caro, podendo ser uma prática lúdica ao alcance de muitos.


Todos os interessados e curiosos serão muito bem-vindos e terão acesso a um conjunto de profissionais que trabalham nesta área e que lhes poderão fornecer todos os conselhos para se iniciarem no voo livre e no parapente.


Em cada um dos 4 dias de competição a saída efectuar-se-á do pavilhão Multiusos de Montalegre para o local de voo.


.

.

 

No último dia deste Open Internacional os melhores entre os melhores serão distinguidos na cerimónia de entrega de prémios, agendada para o final Domingo, dia 18, no Hotel Quality Inn de Montalegre.


De Trás-os-Montes ao sonho de voar como o mais ágil dos pássaros.

 

Para mais informações e contactos sobre o evento, basta seguir os links:


Contacto: Lino Miguel Teixeira (960429595/915341855)

linomiguelteixeira@gmail.com

 

Informações do evento:

Site do Evento: http://www.sam-cam.com/Montalegre/

Site da WIND, Escolas de Parapente de Portugal: http://sam-cam.com/

Site da Câmara Municipal de Portalegre: http://www.cm-montalegre.pt/

Fotos de Parapente: http://www.sam-cam.com/galeria.htm

 

 

 


Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

Olhares de sempre

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes